União da inteligência artificial com experiência na gestão faz fundo quantitativo ganhar tração na crise

Divulgação

Muitas pessoas já devem ter ouvido que diversificar os investimentos é fundamental. Não colocar todos os ovos na mesma cesta, diz o lema. Como fazer isso, entretanto, nem sempre é tão simples. Mesmo distribuindo seus recursos entre vários produtos, é possível que uma carteira não atinja o grau de diversificação desejado para mitigar riscos.

Isso acontece porque não basta olhar para o número de ativos investidos, mas também para a correlação entre eles, isto é, a tendência que eles têm de se comportar de maneira semelhante.

De maneira muito simples, esse conceito pode ser ilustrado com um portfólio de ações. O investidor que, por exemplo, investir em Bolsa apenas com ações de três siderúrgicas estará exposto aos mesmos riscos setoriais. Desse modo, uma queda na demanda por aço teria um efeito negativo forte em sua carteira, evidenciando a alta correlação entre esses papéis.

Ou seja, para diversificar os investimentos, é desejável buscar ativos com baixa correlação, isto é, que se comportem de maneiras distintas em cada cenário. Esse raciocínio também vale na construção global da carteira.

Nesse sentido, os fundos multimercados oferecem um grande leque de opções, principalmente nos últimos anos, quando a classe passou a contar com um reforço importante para quem deseja diversificar os investimentos. São os fundos quantitativos, que contam com a tecnologia como uma grande aliada para executar estratégias de investimentos em diferentes mercados através de modelos matemáticos e algoritmos.

Experiência humana se une ao poder da máquina

No Banco Safra, os clientes podem investir nessa categoria por meio do Safra Maxwell Macro. Lançado em agosto de 2019, ele usa inteligência artificial para explorar padrões de comportamento dos ativos e ineficiências do mercado com base em dados históricos.

Trata-se de uma categoria conhecida pelo potencial de gerar retornos enquanto outros produtos derrapam. Com a extrema volatilidade provocada pela crise do coronavírus, o IHFA, índice da Anbima que mede o desempenho de uma cesta com os principais fundos multimercados do país, acumula até o fim de julho uma alta de 1,71% em 2020.

Já os fundos multimercados do Safra vêm conquistando resultados robustos, mesmo nesse ambiente desafiador, com destaque para o Safra Maxwell, que registra ganho de 7,17% no mesmo período, o equivalente a 367% do CDI, sua referência.

Para conquistar retornos assim, o fundo lança mão de diversas estratégias, como a identificação veloz de ativos que estejam em tendência de alta ou que estejam descontados em relação a alguns fundamentos. O mandato do fundo é extremamente amplo, permitindo o investimento em uma série de ativos no Brasil e no exterior, como crédito privado, títulos públicos, moedas, ações e commodities.

Essas estratégias conseguem ser aplicadas com assertividade graças à inteligência artificial. Os modelos matemáticos utilizados são capazes de aprender ao longo do tempo, se tornando cada vez mais eficientes.

Isso permite ainda que o fundo opere várias classes de ativo em diferentes regiões do mundo, já que, com a ajuda da inteligência artificial, o Safra Maxwell consegue processar bases de dados gigantescas, desvendando oportunidades que apenas uma quantidade muito grande de analistas seria capaz de encontrar.

Já o bom comportamento da categoria em momentos de volatilidade é explicado pela capacidade de realizar operações com extrema velocidade. A recuperação dos mercados durante a crise sanitária da Covid-19, por exemplo, foi iniciada menos de um mês depois da sequência de quedas. Com agilidade no processamento das informações e na tomada de decisão, o Safra Maxwell capturou esse movimento já em março.

Outro ponto importante é o papel da equipe de gestão do fundo, que conta com seis profissionais. Nosso time não só desenvolve os modelos, como monitora o processo constantemente. Isso é fundamental para a capacidade do fundo de gerar valor, já que nossos profissionais decidem, a partir de anos de experiência no mercado, quais algoritmos são mais apropriados para cada cenário, otimizando os retornos. Desse modo, o poder de processamento da máquina é direcionado pelo conhecimento de nossos especialistas.

* BrandVoice®️ é de responsabilidade exclusiva dos autores e não reflete, necessariamente, a opinião da FORBES Brasil e de seus editores

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).