Ibovespa cai com receios sobre coronavírus

Amanda Perobelli - REUTERS

Índice Bovespa fechou em queda, descolado das bolsas nos EUA

O Ibovespa reduziu perdas no final dos negócios, mas fechou hoje (10) descolado das bolsas nos Estados Unidos. As baixas foram sentidas, principalmente, nas ações de empresas exportadoras de produtos ou matérias-primas para a China.

Os receios de investidores são de redução na demanda do país asiático diante da propagação do coronavírus que já matou mais de 900 pessoas na China e infectou mais de 40 mil no mundo. A grande preocupação é com o impacto econômico ainda de difícil avaliação por analistas.

LEIA TAMBÉM: Ibovespa descolado dos EUA por temores com coronavírus

Na bolsa brasileira, o Ibovespa fechou com queda de 1,05% aos 112.570 pontos.

As principais baixas do índice foram da IRB (IRBR3) com desvalorização de 16,49% a R$ 33,01 por novos questionamentos do mercado em relação aos resultados da companhia divulgados aos investidores. Ainda na lista, Marfrig (MRFG3) com queda de 6,94% a R$ 10,32, CVC (CVCB3) com recuo de 6,03% a R$ 32,89, Cyrela (CYRE3) com menos 5,93% a R$ 30,79 e BTG Pactual (BPAC11) que caiu 4,66% a R$ 73,82.

Segundo o estrategista-chefe da XP Investimentos, Fernando Ferreira, o clima de aversão ao risco pelo coronavírus atingiu mais o nosso mercado emergente por conta da composição do Ibovespa, com ações de empresas mais ligadas à economia chinesa que o S&P 500, onde prevalecem as ações de varejo, consumo e tecnologia voltadas, principalmente, à economia norte-americana.

“Vimos uma queda acentuada da IRB com forte impacto no índice, além de empresas exportadoras e de viagens. Houve perdas também nos papeis com espaço para a realização de lucros, a exemplo de Cyrela e Qualicorp”, explica.

Ainda de acordo com Ferreira, os investidores optaram por migrar para as ações de bancos, sem tanto vínculo com a economia externa.

Somada a este movimento, a expectativa com a divulgação do balanço do Itaú Unibanco fez as ações de bancos dispararem.

Na lista das maiores altas do Ibovespa, Itaú SA (ITSA4) com valorização de 2,03% a R$ 13,05, Itau Unibanco (ITUB4) com ganhos de 1,69% a R$ 34,28, Santander (SANB11) que subiu 1,45% a R$ 42,61, BB Seguridade (BBSE3) com avanço de 1,30% a R$ 35,82 e Bradesco (BBDC4) com mais 1,07% a R$ 34,09.

Pela manhã, o BB Seguridade anunciou lucro líquido recorrente (que exclui fatores extraordinários à operação) de R$ 4,3 bilhões em 2019, o que representa um crescimento de 21,3% na comparação com 2018.

****

Luciene Miranda é jornalista especializada em Economia, Finanças e Negócios com coberturas independentes na B3, NYSE, Nasdaq e CBOT

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).