Cabelos, jovialidade e poder: como a calvície pode interferir neste trio

Dean Mitchell/Getty Images
Dean Mitchell/Getty Images

O homem nos dias de hoje está muito mais adepto a cuidados com a aparência do que era duas décadas atrás. Uma imagem bem cuidada com um lifestyle saudável está frequentemente associada ao sucesso atual

O cabelo sempre esteve cercado de um simbolismo muito grade, relacionado a poder e jovialidade. A história de Sansão e Dalila, onde Sansão perdeu suas forças quando Dalila lhe cortou os cabelos é uma mensagem subliminar bastante presente no imaginário das pessoas. E é exatamente isto que acontece. A partir dos 40 anos, mais de 50% dos homens são acometidos por algum grau de calvície, e este percentual aumenta muito com o passar dos anos, e a sensação de perda de força e envelhecimento vem junto.

O homem nos dias de hoje está muito mais adepto a cuidados com a aparência do que era duas décadas atrás. Uma imagem bem cuidada com um lifestyle saudável está frequentemente associada ao sucesso atual, diferente da imagem do workaholic sem tempo para se cuidar de alguns anos atrás. E o cabelo (ou a ausência dele) é a queixa estética mais frequente nos homens. Isto tem levado a um aumento significativo na procura por tratamentos para prevenir a queda dos fios, e também pela cirurgia de transplante capilar, que restaura os fios perdidos de forma definitiva. As mulheres também sofrem bastante com este problema.

 

Segundo dados da ISHRS (International Society of Hair Restoration Surgery, Sociedade Internacional de Cirurgia para Restauração Capilar, em tradução livre), o número de cirurgias de transplante capilar aumentou 10% entre 2016 e 2019, e este é um mercado de US$ 4,6 bilhões anuais. Uma das razões para este aumento na procura é a alta naturalidade dos transplante capilares atuais, em comparação com os estigmatizados “cabelo de boneca”, que ficaram definitivamente no passado. O desenvolvimento de novas tecnologias, técnicas menos invasivas e que proporcionam mais naturalidade impulsionaram a especialidade que foi uma das que mais cresceu na medicina.

Um característica marcante nos tempos atuais é que muitas celebridades, inclusive do mundo business, têm aderido a uma cabeleira volumosa como parte de seu invejável lifestyle, inclusive admitindo que fizeram transplante capilar. Um dos exemplos notórios é um dos homens mais ricos do mundo, Elon Musk, CEO da Tesla e Space-X, que recentemente esteve mais uma vez em evidência por ocupar o posto de homem mais rico do mundo. Musk ostenta um penteado imponente, com uma linha anterior perfeita e que não são observados em suas fotos de juventude. O assunto não é público, mas as imagem sugerem claramente que Musk é mais um adepto famoso dos transplantes capilares.

Porém, ainda existem muitos mitos, curiosidades, diversos tratamentos, novidades da medicina regenerativa e muitas dúvidas que cercam o mundo dos cabelos. São estes assuntos que vamos abordar nas próximas publicações, desmistificando e trazendo o que está cientificamente comprovado para tratar este problema que tanto aflige homens e mulheres.

Márcio Crisóstomo é cirurgião plástico formado no Instituto Ivo Pitanguy, especialista em Transplante Capilar nos Estados Unidos pelo American Board of Hair Restoration Surgery, com pós-graduação em Surgical Leadership pela Harvard Medical School.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).