FGC lança aplicativo para pagamento de garantias

Rmcarvalho/GettyImages
Rmcarvalho/GettyImages

Nesta primeira versão, o aplicativo é exclusivo para clientes pessoas físicas cobertos pelo Fundo

O Fundo Garantidor de Créditos (FGC), entidade responsável pela administração das garantias de uma variedade de investimentos em renda fixa, lançou agora um aplicativo para o pagamento de recursos. As informações foram divulgadas hoje (30) em um comunicado à imprensa.

Até então, o pagamento de garantias era realizado mediante comparecimento presencial em agências bancárias. Agora, a assinatura passa a ser digital por meio do aplicativo.

Em nota, o diretor executivo do FGC, Daniel Lima, explicou que a assinatura do termo é fundamental para que o FGC possa buscar ressarcimento dos valores pagos como garantia junto às instituições em liquidação. “Com o aplicativo, a assinatura do termo passará a ser eletrônica, preservando a segurança do processo, ao mesmo tempo em que aumenta a comodidade para o beneficiário, que não mais precisará ir até uma agência bancária”, afirmou.

Nesta primeira versão, o aplicativo é exclusivo para clientes pessoas físicas que possuem depósitos ou investimentos em instituições liquidadas ou sob intervenção do Banco Central e que contam com cobertura do FGC. Para os próximos meses, novas funcionalidades serão adicionadas ao aplicativo.

O FGC garante a cobertura de até R$ 250 mil por conta, por CPF ou CNPJ no limite de R$ 1 milhão a cada quatro anos. São cobertos pelo fundo aplicações em poupança, em Certificado de Depósito Bancário (CDB), em Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), em Letras de Crédito Imobiliário (LCI), entre outras.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).