Ibovespa encerra sessão no vermelho, mas sobe 3,7% na semana

Reprodução/Forbes

Às vésperas do fim de semana prolongado, o Ibovespa fecha a sexta-feira com uma leve correção técnica e cautela dos investidores ante ao cenário fiscal delicado e ainda incerto. O índice brasileiro trabalhou com volatilidade no dia, recuando 0,45% no fechamento, aos 97.483 pontos. Ainda assim, a semana é de saldo positivo para o Ibovespa que acumula 3,7% de valorização.

O dólar também fechou o dia no vermelho, perdendo 1,13% no dia e negociado a R$ 5,52.
Na semana, a cotação da divisa cedeu 2,47% depois de quatro semanas consecutivas de ganhos, período em que subiu 6,76%. É a primeira queda semanal do dólar desde a semana encerrada em 4 de setembro.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O realinhamento das agendas do ministro Paulo Guedes e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), diminuiu o sentimento de incertezas do mercado, embora as preocupações com o risco fiscal permaneçam na mesa. Ontem, Maia defendeu em coletiva de imprensa a regulamentação do teto de gastos alertando que o país caminha para o precipício se o tema não for enfrentado. “Eu acho que o Congresso precisa ter como pauta número um. Essa é uma preocupação de todos nós, a PEC Emergencial”, disse.

No EUA, a instabilidade é amenizada com o avanço do democrata Joe Biden nas pesquisas, puxando os principais índices para o azul. O Dow Jones subiu 0,57% no dia, acompanhado pelo Nasdaq Composite que ganhou 1,39% na sessão. O S&P 500 fechou em alta de 0,88%, marcando a segunda semana no azul e a melhor performance semanal desde o início de julho, com 3,8% de valorização acumulada.

Em análise divulgada ao mercado nesta sexta-feira, estrategistas do JPMorgan afirmam observar uma mudança no sentimento dos investidores quanto a uma vitória de Joe Biden, avaliando que a eleição do democrata impulsionaria o mercado. O relatório mostra ainda que no mercado de opções há uma redução considerável no prêmio pago para os contratos mais próximos. Movimento que, embora seja comum com a proximidade dos vencimentos futuros, revela que as incertezas para o pleito são menores entre os investidores e traders.

No entanto, como diz o dito popular: “eleição só termina quando acaba”. Ainda no páreo, o presidente Donald Trump aumentou o lance nas negociações para um estímulo fiscal no país, propondo US$ 1,8 trilhão em socorro às companhias aéreas, pequenas empresas e famílias no país. A notícia também colaborou com o bom humor dos investidores no dia, embora um acordo no Congresso seja improvável antes das eleições presidenciais em 3 de novembro.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).