Zoom ultrapassa valor de mercado da multinacional de petróleo ExxonMobil

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Fortuna de Yuan cresceu proporcionalmente aos negócios da companhia, que dispararam rapidamente à medida que milhões de pessoas que trabalham em casa continuam a contar com a ferramenta

O serviço de videoconferência Zoom, que registrou um aumento exponencial durante a pandemia de coronavírus, agora vale mais do que a ExxonMobil, uma das maiores empresas de petróleo e gás do mundo.

Ontem (29), o Zoom atingiu uma avaliação de mercado de US$ 139 bilhões – pouca coisa a mais do que os US$ 138,9 bilhões da Exxon. A companhia de videoconferências começou o ano com uma capitalização de mercado de US$ 19 bilhões, enquanto registrou receita de US$ 1,35 bilhão nos últimos 12 meses. A Exxon, em comparação, registrou receita de US$ 213,8 ​​bilhões durante esse período.

VEJA TAMBÉM: Por que o Zoom não para de crescer no mercado mundial

A Exxon anunciou ontem que demitiria 1.900 funcionários nos Estados Unidos, o mais recente esforço para reduzir custos e melhorar a eficiência durante a pandemia. A empresa viu suas operações pressionadas pela crise sanitária, a exemplo de outras empresas de energia – muitas das quais tomaram medidas para melhorar os balanços, reduzir o pessoal e, em alguns casos, suspender os dividendos. O West Texas Intermediate, a referência do petróleo nos EUA, é atualmente negociado a cerca de US$ 36 por barril, abaixo dos US$ 62 de janeiro.

Enquanto isso, o fundador do Zoom, Eric Yuan, viu sua própria fortuna quase dobrar nos últimos três meses. Desde que apareceu na lista Forbes 400 das pessoas mais ricas da América, que usou como parâmetro os preços das ações de 24 de julho de 2020, seu patrimônio líquido quase dobrou, passando de US$ 11 bilhões para US$ 21,3 bilhões na tarde de ontem.

A fortuna de Yuan cresceu proporcionalmente aos negócios da companhia, que dispararam rapidamente à medida que milhões de pessoas que trabalham em casa continuam a contar com a ferramenta. A proprietária do Zoom possui agora uma das ações com melhor desempenho em 2020, resistindo à liquidação induzida pela pandemia em março e subindo mais de 600% ao longo do ano.

A empresa superou com folga as expectativas no segundo trimestre encerrado em 31 de agosto, com US$ 663,5 milhões de receita (ultrapassando em muito as previsões dos analistas de U$ 500,5 milhões) – e espera continuar crescendo em um ritmo acelerado. O Zoom agora prevê uma receita de até US$ 690 milhões para o trimestre atual (até o final de outubro). A empresa também elevou suas diretrizes financeiras para todo o ano fiscal, até janeiro de 2021, para quase US$ 2,4 bilhões em receita, acima dos US$ 623 milhões para o ano até janeiro de 2020. O movimento leva em consideração a demanda ainda mais crescente por soluções de trabalho remoto para negócios.

Yuan não é o único a ficar mais rico com o sucesso de sua empresa. A diretora financeira do Zoom desde 2017, Kelly Steckelberg, também viu sua fortuna crescer. Ela estreou na lista das Mulheres Self-Made Mais Ricas em 13 de outubro com um patrimônio líquido de US$ 255 milhões. Ela agora cumula fortuna estimada em mais de US$ 340 milhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).