Ibovespa sobe quase 2% com mercados globais, apesar de indefinição nos EUA

O mundo ainda não sabe quem será o próximo presidente dos EUA, mas os investidores mantêm suas apostas em uma vitória para o democrata Joe Biden e de um Senado controlado por republicanos, impulsionando as bolsas globais na manhã desta quinta-feira (5). O Ibovespa trabalha com valorização de 1,77% aos 99.602 pontos nos primeiros negócios do dia.

Além do sentimento positivo vindo do exterior, o índice brasileiro encontra suporte na temporada de balanços financeiros. Hoje, o Banco do Brasil reportou lucro líquido ajustado de R$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre, com distribuição de R$ 555,75 milhões em Juros sobre Capital Próprio. Ontem, a B3 informou que o número de investidores pessoas físicas chegou a 3.147.040 de CPFs, um crescimento de 87,2% apenas em 2020.

Nos EUA, a apuração está centrada neste momento em cinco estados: Nevada, Arizona, Pensilvânia, Carolina do Norte e Georgia, com vantagem para Biden que possui 264, dos 270 delegados necessários para ser eleito, segundo projeção do The Wall Street Journal. O próximo presidente terá que lidar com a escalada do coronavírus no país, que somou mais de 600 mil novas contaminações apenas nos últimos sete dias.

Em Wall Street, os índices futuros têm fortes ganhos e caminham para a melhor semana desde abril, com destaque para o Nasdaq que subia 2,63% às 10h30, horário de Brasília, seguido por alta 1,88% no S&P 500 e por valorização de 1,44% no Dow Jones. O dólar amplia a queda contra o real no dia com a proximidade de uma definição para as eleições norte-americanas, recuando 1,29% e negociado a R$ 5,58 na venda.

Na Europa, o número de mortes por coronavírus aumentou 43% nos últimos sete dias em relação à semana anterior, com hospitais sobrecarregados na Suíça e na Bélgica. Apesar do avanço da segunda onda, o mercado mantém a atenção direcionada às eleições nos EUA, impulsionando os indicadores da região após profundas perdas em outubro. No mesmo horário, o DAX avançava 1,60% e o FTSE MIB tinha ganho de 1,89%.

As bolsas asiáticas também fecharam em alta nesta quinta-feira. O otimismo é fruto da crença de uma vitória para Joe Biden, o que poderia diminuir o acirramento entre os países e a pressão sobre as empresas chinesas. O Shanghai Composite fechou em alta de 1,30% e o Hang Seng, de Hong Kong, valorizou 3,25% no dia.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).