Ibovespa fecha em alta com otimismo por vacinas e blue chips

O Ibovespa fechou em alta de 1,26% a sessão desta segunda-feira (23) aos 107.378 pontos, apoiado no forte avanço das ações da Vale e da Petrobras, enquanto Carrefour Brasil liderou as perdas com a repercussão do assassinato em uma loja do grupo na última semana.

A bolsa brasileira refletiu ainda otimismo global para uma recuperação econômica com o anúncio de que a vacina produzida pela farmacêutica britânica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford obteve eficácia média de 70% na imunização contra a covid-19 em testes avançados, podendo chegar a 90% de eficácia de acordo com a dosagem aplicada. A notícia impulsionou os mercados globais: em Wall Street, o Dow Jones encerrou em alta de 1,12%, o S&P 500 cresceu 0,56% e o Nasdaq Composite avançou 0,22% no dia.

O mercado teve ainda como ingrediente as expectativas de que o governo norte-americano autorize nas próximas semanas o uso emergencial da vacina da Pfizer/BioNTech, permitindo que vacinação de profissionais de saúde tenha início antes do natal nos Estados Unidos. Ontem, o país registrou 142 novas infecções pelo vírus e há quase duas semanas a ocupação dos hospital registra recordes diários.

De acordo com Rodrigo Franchini, sócio da Monte Bravo Investimentos, notícias positivas sobre a eficácia da AstraZeneca têm um efeito adicional porque, do que se sabe, é uma vacina mais barata, com logística mais simples, que pode atender a uma demanda global de forma muito mais rápida. O ministério da Saúde brasileiro tem um acordo para adquirir e produzir doses da vacina da AstraZeneca. No Brasil, o Instituto Butantan afirmou que dados preliminares da eficácia da CoronaVac, potencial vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac, serão anunciados no início de dezembro e a expectativa é de que a Anvisa dê o registro ao imunizante em janeiro.

O dólar operava em queda pela manhã, mas tomou fôlego e fechou em alta de 0,83% e negociado a R$ 5,43 na venda depois da divulgação de dados sobre a atividade empresarial nos Estados Unidos acima do esperado, provocando uma cobertura de posições vendidas na moeda norte-americana.

Além do exterior, os constantes ruídos sobre o futuro das contas públicas deixaram o real mais frágil. Hoje, o ministro Paulo Guedes voltou a afirmar que o Governo não tem planos de prorrogar o auxílio emergencial. A exceção aconteceria apenas em uma segunda onda de contaminações no Brasil.

Em evento online da Empiricus e da Vitreo, o ministro voltou a defender a saúde da economia brasileira. A “economia está muito mais saudável, em vez de com juros a 10%, 12% e o câmbio a R$ 1,80, R$ 2,00, R$ 2,20, R$ 2,80, economia muito mais saudável se ela estiver com juro de 2% e câmbio de R$ 5,00. É muito melhor. Acredito, inclusive, que o câmbio brasileiro já fez o overshooting”, disse. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
PRIO3: +7,64% a R$ 46,51
CSNA3: +6,80% a R$ 21,35
PETR4: +6,13% a R$ 25,10
BRFS3: +5,91% a R$ 22,03
PETR3: +4,86% a R$ 25,48

Maiores Baixas
CRFB3: -5,35% a R$ 19,30
PCAR3: -3,97% a R$ 70,10
CIEL3: -3,33% a R$ 3,77
MGLU3: -3,22% a R$ 23,42
HYPE3: -2,81% a R$ 30,40

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).