Ruídos políticos e realização de lucros pressionam o Ibovespa

O Ibovespa descola do exterior e abre a sessão desta quarta-feira (11) em território negativo, perdendo 0,28% aos 104.775 pontos nos primeiros negócios do dia. As quedas refletem um movimento técnico após seis pregões de altas consecutivas na bolsa brasileira, mas também acompanham o retorno da tensão no ambiente político nacional. Ontem, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, referindo-se à diplomacia Brasil-Estados Unidos, que “quando acaba a saliva, tem que ter pólvora”.

O presidente afirmou também que é preciso enfrentar a pandemia do novo coronavírus de “peito aberto” e que o Brasil tem de deixar de ser “um país de maricas”, numa referência pejorativa ao receio com a Covid-19, que já matou mais de 162 mil e infectou 5,67 milhões de pessoas no país.

Na noite de ontem, presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, veio a público refutar as declarações que aumentam o ambiente de incertezas para a votação de pautas prioritárias para as contas públicas. “A celeuma acontece a poucos dias da volta de Brasília às atividades pós-eleições municipais para discutir o orçamento de 2021, incluindo as PECs de revisão de despesas e o programa de transferência de renda – um desafio que não é trivial”, disseram em nota analistas políticos da XP Investimentos.

O contexto interno pressiona a curva de juros futuros e impulsiona a valorização do dólar contra o real no dia, com a moeda norte-americana ganhando 1,16% e negociada a R$ 5,45 na venda.

“Era recomendado que o governo concentrasse esforços nesses dias que antecedem o retorno para chegar na semana que vem com o tema encaminhado – o desconcerto de ontem mostra que estamos na direção contrária,” afirma o documento. A saúde das contas públicas tem dominado o radar dos investidores domésticos, que temem que o governo fure seu teto de gastos ao tentar conciliar o financiamento de um novo programa de assistência social a um Orçamento apertado para 2021.

No exterior, os ruídos políticos em torno das eleições presidenciais são ofuscados pelo bom humor do mercado. Os futuros em Wall Street operam em alta puxados pelos papéis empresas de tecnologia. Já os índices acionários da China fecharam em baixa nesta quarta-feira, pressionados pelas perdas em papeis de veículos elétricos e saúde diante da realização de lucros.

Nas commodities, o petróleo opera em alta impulsionado pela expectativa de que uma vacina eficaz contra o coronavírus nos próximos meses possa ajudar na recuperação da demanda global e por dados positivos sobre os estoques nos EUA divulgados nesta manhã. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).