Ibovespa sobe com exterior após Trump sancionar pacote econômico nos EUA

O Ibovespa abre em alta a última segunda-feira de 2020, ganhando 0,34% aos 118.207 pontos às 10h16, horário de Brasília. A Bolsa brasileira acompanha o viés positivo global, após a resolução de impasses que se arrastavam há meses no exterior. Nos EUA, o presidente Donald Trump assinou ontem o pacote econômico da pandemia e de gastos do país, totalizando US$ 2,3 trilhões em recursos que evitam a paralisação dos serviços federais e renovam os pagamentos do seguro desemprego para milhões de norte-americanos.

Na Europa, o Reino Unido publicou no sábado o texto do acordo comercial com a União Europeia, a cinco dias para o Brexit. O acordo foi anunciado na última sexta-feira. Também às 10h16, o S&P 500 futuro avançava 0,71% e o DAX, da Alemanha, tinha alta de 1,53%.

Na visão do estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, o pacote deve dar suporte para que a economia dos EUA atravesse um período mais turbulento até que a vacinação atinja uma escala maior e permita uma recuperação mais estrutural do país. Em comentários a clientes mais cedo, Kawa avaliou ainda que o processo de vacinação vem ganhando escala ao redor do mundo e trazendo expectativas de uma normalização econômica e social ainda no primeiro semestre de 2021.

Os preços do petróleo avançam nesta manhã, com o barril do Brent, referência internacional, tocando os US$ 52, movimento que pode favorecer o desempenho das ações da Petrobras na sessão. Refletindo o otimismo global e maior apetite do mercado por riscos, o dólar opera em queda contra o real nesta manhã, negociado em baixa de 0,39% a R$ 5,17 na venda.

“Hoje, com os desdobramentos vistos no exterior, vai voltando a tendência de queda do dólar e fluxo de capital para países emergentes”, disse à Reuters João Freitas, analista da Toro Investimentos.

Sem expectativas de movimentações importantes em Brasília com a aproximação do fim do ano, os investidores domésticos devem levar sua ansiedade em relação ao cenário fiscal – que tem dominado o radar dos mercados nos últimos meses – para 2021. Também em meio a atrasos na agenda de reformas estruturais, os mercados devem ficar à espera de garantias concretas de que o governo não desrespeitará seu teto de gastos em 2021.

Nos indicadores, o Boletim Focus, do Banco Central, revelou hoje que o mercado espera a Selic a 3,13% ao fim de 2021 e que as expectativas para a inflação são de taxa em 4,39% neste ano, e de 3,34% no próximo. Dados divulgados também nesta manhã pela Fundação Getulio Vargas (FGV) mostram a oitava elevação mensal consecutiva no Índice de Confiança da Indústria (ICI), subindo 1,8 ponto em dezembro, para 114,9 pontos, patamar máximo desde maio de 2010. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).