Médicos, cientistas e empresários da saúde: os bilionários da pandemia

Divulgação/Forbes
Divulgação/Forbes

Da esquerda para a direita: Stéphane Bancel, ceo da Moderna; Sergio Stevanato, presidente da Stevanato Group e Uğur Şahin, ceo da BioNTech

Quase um ano depois do primeiro caso de coronavírus em Wuhan, na China, o mundo pode estar se aproximando do fim de uma pandemia que já matou mais de 1,7 milhão de pessoas, apesar da vacinação em curso nos Estados Unidos e no Reino Unido, além dos tratamentos que prometem anticorpos e podem ajudar os médicos a lutar contra a doença. Ligados a estes avanços, uma série de novos bilionários surgiram em 2020. Suas fortunas foram impulsionadas por um aumento das bolsas no exterior, enquanto investidores compraram ativos de empresas envolvidas no setor de saúde

Ao todo, a Forbes encontrou 50 novos bilionários no setor da saúde em 2020. Os novos e mais notáveis são os cientistas por trás das vacinas de maior sucesso contra o coronavírus, uma desenvolvida pela Pfizer/BioNTech e a outra pela Moderna. Os CEOs das empresas viram o valor líquido das companhias disparar desde janeiro.

Praticamente desconhecidos no início de 2020, Uğur Şahin e Stéphane Bancel são os mais novos bilionários do mercado. O CEO da BioNTech, Şahin, é cofundador da empresa com a sua esposa, Özlem Türeci, diretora-média da empresa, que tem agora um patrimônio de US$ 4,2 bilhões. Já Bancel, CEO da Moderna, tem uma fortuna de US$ 4,1 bilhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A ascensão meteórica da Moderna também produziu mais dois bilionários entre os seus primeiros investidores, o professor de Harvard, Timothy Springer, e o cientista do MIT, Robert Langer. As vacinas exigirão bilhões de frascos de vidro para o seu transporte seguro e, por isso, Sergio Stevanato é mais um novo bilionário, pois é responsável por fabricar frascos de vidro para várias vacinas em todo o mundo.

Não se trata apenas de vacinas: as empresas que desenvolvem tratamentos com anticorpos e medicamentos para ajudar os médicos a combater o vírus também se beneficiaram do frenesi do mercado. Carl Hansen, o CEO da empresa canadense de biotecnologia AbCellera, agora possui US$ 2,9 bilhões, depois que sua companhia abriu o capital em 11 de dezembro, impulsionada pela aprovação da Food and Drug Administration (FDA – órgão no Brasil equivalente à Anvisa) no mês passado para seu tratamento com anticorpos desenvolvido com a gigante farmacêutica Eli Lilly.

Mesmo as empresas que trabalham nos bastidores para ajudar empresas maiores a testar novos medicamentos e dispositivos viram os preços de suas ações atingirem novas máximas. August Troendle, fundador e CEO da Medpace, empresa de pesquisa contratada com sede em Cincinnati, agora vale US$ 1,3 bilhão, graças ao salto de quase 70% nas ações da empresa desde o início de 2020.

Os novos magnatas vêm de 11 países diferentes, mas a maioria vive na China, o epicentro inicial do coronavírus, que agora é o lar de quase trezentos novos bilionários da área de saúde. O principal deles é Hu Kun, presidente da fabricante de dispositivos médicos Contec Medical Systems, que se tornou pública na bolsa de valores de Shenzhen em agosto. As ações da Contec subiram quase 150% desde a Oferta Pública Inicial (IPO, em inglês) devido às fortes vendas no exterior de produtos que variam de oxímetros de pulso a dispositivos pulmonares usados ​​para verificar as condições pulmonares.

Aqui estão os 10 recém-chegados mais notáveis que empreendem na luta contra o coronavírus, seguidos pelos outros 40 bilionários da saúde que surgiram em 2020:

Uğur Şahin

Divulgação / Forbes
Divulgação / Forbes

BioNTech CEO Ugur-Sahin

Patrimônio líquido: US$ 4,2 bilhões
País: Alemanha
Empresa: BioNTech

O médico turco fundou a BioNTech na cidade alemã de Mainz em 2008 com sua esposa, Özlem Türeci, que atua como diretora médica da empresa. Ele possui cerca de 17% das ações da companhia. Os ativos da BioNTech aumentaram 160% desde janeiro devido ao sucesso da vacina desenvolvida em parceria com a Pfizer, que foi declarada pelo FDA dos EUA como 95% eficaz na prevenção contra o coronavírus.

As primeiras doses foram lançadas no Reino Unido em 8 de dezembro e nos EUA em 14 de dezembro, com mais doses reservadas para a União Europeia, Japão e Canadá, entre outros países. Antes de iniciar a BioNTech, Şahin e Türeci fundaram a empresa biofarmacêutica Ganymed Pharmaceuticals em 2001, que venderam para a Astellas Pharma, com sede no Japão, por cerca de US$ 460 milhões em 2016.

Stéphane Bancel

Divulgação / Forbes
Divulgação / Forbes

Moderna CEO Stéphane Bancel

Patrimônio líquido: US$ 4,1 bilhões

País: França
Empresa: Moderna

Em 2011, Bancel tornou-se CEO da Moderna, com sede em Massachusetts, depois de deixar seu emprego anterior como CEO da empresa francesa de diagnósticos BioMérieux. Ele possui cerca de 6% da Moderna e tinha cerca de 9% quando se tornou bilionário em março, depois de vender mais de um milhão de ações, enquanto os ativos da empresa subiam mais de 550% desde o início do ano.

Em 18 de dezembro, a vacina da Moderna – com eficácia reportada de 95% – foi a segunda a ser aprovada pelos reguladores nos EUA, depois da vacina Pfizer-BioNTech. As primeiras doses serão usadas nos EUA, que encomendaram 200 milhões de unidades.

Yuan Liping
Patrimônio líquido: US$ 4,1 bilhões
País: Canadá
Empresa: Shenzhen Kangtai Biological Products

Yuan possui 24% da Shenzhen Kangtai Biological Products, um dos principais produtores de vacinas da China. Após se divorciar de Du Weimin, bilionário e presidente da empresa, em junho. A separação instantaneamente tornou Yuan a canadense mais rica de Shenzhen.

As ações da Kangtai subiram 90% desde o início de 2020. Ela trabalhou na empresa de 2012 a 2015 como gerente e diretora e, desde março de 2017, é diretora da subsidiária da Kangtai, Beijing Minhai Biotechnology.

Kangtai é a fabricante chinesa exclusiva da vacina desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, com um acordo para produzir 200 milhões de doses. Contudo, a empresa tem uma história turbulenta: em 2013, sua vacina contra hepatite B estava ligada à morte de 17 crianças, mas foi investigada pelo governo que não chegou a nenhum resultado e os críticos foram obrigados a se retratar.

Hu Kun

Patrimônio líquido: US$ 3,9 bilhões
País: China
Empresa: Contec Medical Systems

Hu é presidente da Contec Medical Systems, fabricante de dispositivos médicos com sede na cidade portuária de Qinhuangdao, no nordeste da China. Ele abriu o capital da empresa na bolsa de valores de Shenzhen em agosto e possui quase metade das ações, que cresceram quase 150% desde o IPO. A Contec obtém mais de 70% de sua receita do exterior e fabrica uma variedade de produtos médicos para hospitais, incluindo nebulizadores, estetoscópios e monitores de pressão arterial.

Timothy Springer

Divulgação / Forbes
Divulgação / Forbes

Timothy Springer. © 2018 BLOOMBERG FINANCE LP

Patrimônio líquido: US$ 2 bilhões
País: Estados Unidos
Empresa: Moderna

Imunologista e professor de química biológica e farmacologia molecular na Universidade de Harvard, Springer foi o investidor fundador da Moderna em 2010, quando colocou cerca de US$ 5 milhões na empresa incipiente. Uma década depois, sua participação de 3,5% vale agora cerca de US$ 1,6 bilhão.

Springer é um investidor ativo em biotecnologia, com participações menores nas empresas de capital aberto Scholar Rock e Morphic Therapeutic, que surgiu de sua pesquisa com alunos de pós-doutorado de seu laboratório em Harvard. Ele teve o primeiro grande lucro em 1999, quando vendeu a LeukoSite, empresa de biotecnologia, que fundou em 1993 e abriu o capital cinco anos depois, para a Millennium Therapeutics por US$ 635 milhões.

Sergio Stevanato

Cortesia / Forbes
Cortesia / Forbes

PHOTO BY COURTESY OF SERGIO STEVANATO

Patrimônio líquido: US$ 1,8 bilhão
País: Itália
Empresa: Stevanato Group

Stevanato é presidente da empresa italiana de embalagens médicas Stevanato Group, o segundo maior produtor mundial de frascos de vidro e um fornecedor proeminente de frascos para mais de quarenta vacinas contra o coronavírus. Fundada nos arredores de Veneza em 1949 pelo pai, Giovanni, a empresa agora é administrada pelos filhos de Sergio, Franco e Marco, que atuam como CEO e vice-presidente, respectivamente.

A empresa com US$ 700 milhões em vendas também é a maior produtora mundial de canetas de insulina e máquinas que fabricam, esterilizam e embalam bilhões de frascos, seringas e outros produtos de vidro. Em junho, Stevanato assinou um acordo com a Coalition for Epidemic Preparedness and Innovations, apoiada pela Fundação Gates, para fornecer 100 milhões de frascos para nove vacinas diferentes. Desde então, a empresa assinou acordos adicionais com vários outros fabricantes de vacinas, que não pode divulgar.

Robert Langer

Divulgação / Forbes
Divulgação / Forbes

Robert Langer. BOSTON GLOBE VIA GETTY IMAGES

Patrimônio líquido: US$ 1,5 bilhão
País: Estados Unidos
Empresa: Moderna

Conhecido como o “Edison of Medicine” por seu trabalho pioneiro no campo da engenharia biomédica, Langer é professor de engenharia química no Massachusetts Institute of Technology (MIT). Ele foi o investidor fundador da Moderna – localizada do outro lado da rua de seu escritório em Cambridge – em 2010 e nunca vendeu uma ação. Sua participação de 3% vale agora cerca de US$ 1,5 bilhão.

Langer possui participações menores em startups de biotecnologia de capital aberto SQZ Biotechnologies e Frequency Therapeutics, ambas fundadas por estudantes de pós-doutorado de seu laboratório, e possui mais de 1.400 patentes que foram licenciadas mais de 400 vezes para empresas farmacêuticas e médicas.

Premchand Godha

Patrimônio líquido: US$ 1,4 bilhão
País: Índia
Empresa: Ipca Labs

Godha começou como revisor oficial de contas antes de entrar no setor farmacêutico em 1975, quando adquiriu a farmacêutica Ipca Labs, sediada em Mumbai, em parceria com a família do super astro de Bollywood, Amitabh Bachchan. A empresa, que fabrica ingredientes farmacêuticos, viu o preço de suas ações quase dobrar neste ano, em parte devido à maior produção e vendas da hidroxicloroquina, que foi apontada como uma cura potencial no início da pandemia, antes de seu uso ser desencorajado pelo Organização Mundial da Saúde por ter pouco ou nenhum efeito.

August Troendle

Patrimônio líquido: US$ 1,3 bilhão
País: Estados Unidos
Empresa: Medpace

Troendle é o CEO e fundador da Medpace, com sede em Cincinnati, que realiza trabalhos de contrato e testes clínicos para empresas farmacêuticas que desenvolvem medicamentos e dispositivos médicos. Antes de fundar a Medpace, em 1992, e torná-la pública em 2016, o médico treinado pela Universidade de Maryland trabalhou no desenvolvimento clínico na gigante farmacêutica suíça Novartis e como revisor médico no FDA.

Os laboratórios da Medpace trabalham com uma gama de serviços farmacêuticos, desde a execução de testes de cotonete e anticorpos para o coronavírus em clínicas externas, até a execução de testes clínicos complexos para fabricantes de medicamentos que trabalham em novas vacinas e tratamentos.

A Forbes estima que Troendle, que possui cerca de 21% das ações da Medpace, vale agora cerca de US$ 1,3 bilhão, tornando-o o mais recente empresário da área de saúde a ingressar no clube bilionário em 2020.

Li Juanquan e família

Valor líquido: US$ 7,9 bilhões
País: Hong Kong
Setor: Produtos cirúrgicos

Jian Jun

Valor líquido: US$ 4,4 bilhoes
País: China
Setor: Biotech

Ye Xiaoping

Valor líquido: US$ 4,2 bilhões
País: China
Setor: Farmacêuticos

Hao Hong

Valor líquido: US$ 3,4 bilhões
País: Estados Unidos da América
Setor: Farmacêuticos

Jin Lei

Valor líquido: US$ 3,2 bilhões
País: China
Setor: Farmacêuticos

Liu Fangyi

Valor líquido: US$ 3,2 bilhões
País: China
Setor: Equipamento médico

Lv Jianming

Valor líquido: US$ 3,1 bilhões
País: Hong Kong
Setor: Equipamento médico

Gan Zhongru

Valor líquido: US$ 2,8 mil milhões
País: China
Setor: Farmacêuticos

Weng Xianding

Valor líquido: US$ 2,8 mil milhões
País: China
Setor: Dispositivos médicos

Chen Xiao Ying

Valor líquido: US$ 2,7 bilhões
País: Hong Kong
Setor: Informação sanitária

Xie Juhua e família

Valor líquido: US$ 2,6 bilhões
País: China
Setor: Farmacêuticos

Dai Lizhong

Valor líquido: US$ 2,5 bilhões
País: China
Setor: Testes médicos

Miao Yongjun

Valor líquido: US$ 2,5 bilhões
País: China
Setor: Diagnósticos clínicos

Hu Gengxi e família

Valor líquido: US$ 2,3 bilhões
País: China
Setor: Biopharma

Li Zhibiao

Valor líquido: US$ 2,3 bilhões
País: China
Setor: Produtos de cuidados pessoais

Alan Miller e família

Valor líquido: US$ 2,3 bilhões
País: Estados Unidos da América
Setor: Serviços de saúde

Lin Zhixiong & família

Valor líquido: US$ 2,1 bilhões
País: China
Setor: Dispositivos médicos

Alberto Siccardi e família

Valor líquido: US$ 2,1 bilhões
País: Suíça
Setor: Dispositivos médicos

Gao Yi e família

Valor líquido: US$ 2 bilhões
País: China
Setor: Farmacêuticos

Lin Zhijun

Valor líquido: US$ 2 bilhões
País: China
Setor: Dispositivos médicos

Xie Liangzhi e família

Valor líquido: US$ 2 bilhões
País: China
Setor: Biotech

Chen Baohua

Valor líquido: US$ 1,8 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Zhu Yiwen e família

Valor líquido: US$ 1,8 bilhão
País: China
Setor: Serviços de saúde

Li Wenmei e família

Valor líquido: US$ 1,7 bilhão
País: China
Setor: Equipamento médico

Lin Jie e família

Valor líquido: US$ 1,7 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Liu Xiucai e família

Valor líquido: US$ 1,6 bilhão
País: Estados Unidos da América
Setor: Produtos químicos

Pu Zhongjie & família

Valor líquido: US$ 1,6 bilhão
País: China
Setor: Equipamento médico

Rao Wei e família

Valor líquido: US$ 1,6 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Ren Jinsheng e família

Valor líquido: US$ 1,6 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Xiong Jun & família

Valor líquido: US$ 1,5 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Yi Xianzhong & família

Valor líquido: US$ 1,5 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Felix Baker

Valor líquido: US$ 1,4 bilhão
País: Estados Unidos da América
Setor: Investimento biotecnológico

Julian Baker

Valor líquido: US$ 1,4 bilhão
País: Estados Unidos da América
Setor: Investimento biotecnológico

Rajendra Agarwal

Valor líquido: US$ 1,3 bilhão
País: Índia
Setor: Farmacêuticos

Banwarilal Bawri

Valor líquido: US$ 1,3 bilhão
País: Índia
Setor: Farmacêuticos

Girdharilal Bawri

Valor líquido: US$ 1,3 bilhão
País: Índia
Setor: Farmacêuticos

Benedicte Find

Valor líquido: US$ 1,3 bilhão
País: Dinamarca
Setor: Dispositivos médicos

Zhong Ming e família

Valor líquido: US$ 1,3 bilhão
País: China
Setor: Instrumentos médicos

Yuan Jiandong & família

Valor líquido: US$ 1,1 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Fã Minhua

Valor líquido: US$ 1,1 bilhão
País: China
Setor: Farmacêuticos

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).