Corretoras diminuem restrições e investidores retomam compras de ações da GameStop

MikeBlake/Reuters

O efeito GameStop aumenta as dúvidas sobre o futuro de um rali que já dura uma década

Wall Street se prepara hoje (29) para o retorno de um exército de investidores de varejo prontos para comprar ações da GameStop e de outras empresas, cujas altas nesta semana e a subsequente suspensão das negociações criaram uma batalha do pequeno investidor contra os fundos de hedge de venda a descoberto.

Os futuros de Wall Street e os mercados de ações europeus caíram 1% hoje, enquanto as ações asiáticas dirigiram-se para sua perda semanal mais acentuada em meses, enquanto o efeito GameStop aumenta as dúvidas sobre o futuro de um rali que já dura uma década, uma vez que suas ações chegaram a subir 100% antes da abertura do pregão em Nova York.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

No WallStreetBets, um fórum do Reddit que com quase 6 milhões de membros é creditado por alimentar o movimento, GameStop e AMC permaneceram como as ações favoritas dos investidores. O confronto entre os grupos de investidores agitou os mercados de ações globais, à medida que os fundos foram forçados a vender algumas de suas ações de melhor desempenho, incluindo da Apple, para cobrir bilhões de dólares em perdas.

O J.P. Morgan identificou 45 ações que podem ser suscetíveis a “eventos de fragilidade” nos próximos dias, como a imobiliária Macerich, a rede de restaurantes Cheesecake Factory e o serviço de assinatura de roupas Stitch Fix. Enquanto isso, GameStop, AMC e American Airlines, têm altas taxas de posições em ‘short’, o que as torna sujeitas a sofrerem um ‘short-squeeze’ que pode prejudicar os fundos que apostaram na queda das ações.

As ações de GameStop, AMC Entertainment e BlackBerry despencaram mais de 40% ontem (28), depois que várias plataformas de negociação online impuseram interrupções de compra, mas os papéis se recuperaram após o final do pregão, já que o Robinhood e a Interactive Brokers disseram que planejavam diminuir as restrições nesta sexta-feira. Personalidades públicas criticaram tais restrições, e dois clientes processaram o Robinhood sobre a proibição e comitês da Capital Hill e sinalizaram que realizarão audiências sobre o assunto.

“Minha expectativa é que isso vai passar e então a multidão do Robinhood irá procurar um alvo diferente, mas normalmente essas coisas vêm em ondas”, disse Andrea Cicione, chefe de estratégia da TS Lombard em Londres.

“Infelizmente, definitivamente não é uma coisa única”, disse Randy Frederick, vice-presidente de negociação e derivativos do Schwab Center for Financial Research. “O tipo de atividade que impulsionou a alta, a crédito, fez com que as pessoas tentassem replicar isso em outras ações.”

ROUBANDO DOS RICOS?

A corretora online Robinhood é uma das plataformas mais utilizadas no frenesi dos investidores de varejo, mas suas súbitas restrições às compras desencadearam uma série de protestos online, enquanto a empresa usava linhas de crédito para garantir que pudesse continuar a negociar.

Uma reportagem disse que a corretora estava levantando uma injeção de capital de mais de US$ 1 bilhão de seus investidores existentes, após ser pressionada pelos altos volumes e volatilidade das negociações nesta semana.

O Robinhood não respondeu imediatamente a um pedido de comentário, mas disse em anteriormente em seu blog que a volatilidade afetou suas obrigações de manter capital e depósitos na câmara de compensação, e também acrescentou que não houve crise de liquidez.

Considerado pelos profissionais do mercado como “dinheiro burro”, os grupos de investidores de varejo, alguns deles ex-banqueiros trabalhando por conta própria, tornou-se uma força cada vez mais poderosa no mercado financeiro, e gerou apelos por uma maior regulação nas negociações feitas em aplicativos online de fácil acesso alimentadas por discussões anônimas em redes sociais.

Após os movimentos de ontem (28), aqueles que estão envolvidos nas negociações agora enfrentam o dilema de fechar posições com prejuízo, vender e realizar os lucros ou segurar os papéis e forçar mais vendedores a descoberto a abandonarem suas posições.

“Agora estamos realmente descobrindo o que pode acontecer quando algo não sai do jeito deles”, disse JJ Buckner, um investidor de 29 anos que utiliza a plataforma do Robinhood, cuja transmissão ao vivo do YouTube teve mais de 250.000 acessos no início desta semana. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).