Ibovespa fecha em baixa com cautela global em dia de vencimento de opções

O Ibovespa fechou o pregão de hoje (13) em forte queda, recuando 1,67% aos 121.933 pontos com investidores realizando lucros em dia de vencimento de contratos futuros e sob pressão negativa de ações com maior liquidez, como Petrobras, Vale e papéis do setor financeiro.

Na ausência de notícias corporativas relevantes, os investidores apostaram na cautela enquanto aguardam o início das vacinações no Brasil e os desdobramentos da votação do impeachment de Donald Trump, iniciada pela Câmara dos Representantes dos EUA nesta tarde.

No Brasil, as atenções seguem direcionadas para a corrida nas eleições para as presidências da Câmara e do Senado. Na Câmara, a mesa diretora deve definir na próxima o formato e a data da eleição disputada por Arthur Lira (PP-AL), candidato do governo, e por Baleia Rossi (MDB-SP), representando a oposição. No Senado, o MDB definiu que Simone Tebet enfrentará Rodrigo Pacheco (DEM) na corrida pela presidência da Casa.

Em relatório, a XP lembra que Tebet se lançou pregando “independência com harmonia” em relação ao Planalto e disse que a discussão sobre novo auxílio emergencial deve ser feita “observando os critérios de responsabilidade fiscal, do limite do teto de gastos.”

Na esteira do ambiente de incertezas, os índices em Wall Street encerraram o dia em campo misto, com setores defensivos liderando os ganhos e impulsionando o fechamento positivo do S&P 500, que avançou 0,23% aos 3.809 pontos. O índice com forte peso de ações de tecnologia, Nasdaq Composite, terminou o dia em alta de 0,43%, aos 13.128 pontos, enquanto o Dow Jones fechou a sessão com recuo de 0,03% aos 31.060 pontos.

Já o dólar terminou o dia em leve queda contra o real, desvalorizando 0,24% e negociado a R$ 5,31 na venda, em uma sessão marcada por intenso vaivém nos preços, com a moeda brasileira entre os poucos destaques positivos nos mercados globais de câmbio.

A instabilidade do câmbio ocorreu em dia de fluxos pontuais, sem drivers com força suficiente para dar uma direção mais clara ao mercado. De forma geral, estiveram no radar notícias positivas do setor de serviços em novembro, perspectiva de início de vacinação, corrida para eleição nas duas casas legislativas brasileiras, apostas sobre os rumos da política monetária e o noticiário político nos Estados Unidos.

O setor de serviços – que responde pela maior parte da atividade econômica brasileira – cresceu 2,6% em novembro, o sexto mês consecutivo, levando a taxa acumulada em 2020 para 19,2%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
MRVE3: +4,39% a R$ 20,21
PRIO3: +3,90% a R$ 79,48
ENEV3: +3,67% a R$ 67,50
CSNA3: +2,15% a R$ 84,70
PCAR3: +1,95% a R$ 77,84

Maiores Baixas
USIM5: -6,07% a R$ 15,48
BBAS3: -4,94% a R$ 37,55
PETR4: -4,83% a R$ 29,15
CSNA3: -4,81% a R$ 36,25
AZUL4: -4,67% a R$ 35,96

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).