Lindsay Lohan grava vídeo sobre preços do bitcoin e ethereum

GettyImages
GettyImages

Volta dos famosos ao universo cripto pode sinalizar também retorno dos investidores do varejo

O bitcoin disparou para novos recordes nas últimas semanas – levando a maior criptomoeda do mundo de volta aos holofotes, após três anos difíceis. A enorme corrida do bitcoin tem sido aplaudida por apoiadores de longa data e impulsionada por novos investidores em criptos, como o bilionário Elon Musk, que na semana passada afirmou que nunca recusaria um pagamento em bitcoins.

Agora, a atriz Lindsay Lohan publicou um vídeo por meio da plataforma voltada ao universo das celebridades Cameo, prevendo que o bitcoin e o ethereum continuarão a subir e sinalizando um retorno da euforia em torno das criptos observada em 2017.

Na semana passada, o preço do bitcoin subiu para mais de US$ 40 mil a unidade, o dobro das máximas vistas há quase quatro anos. Também em alta, o ethereum ultrapassou os US$ 1 mil pela primeira vez desde fevereiro de 2018. A capitalização de mercado ultrapassou os US$ 700 bilhões na semana passada, empurrando a criptomoeda nas paradas dos maiores ativos globais e tornando-a, brevemente, mais valiosa que o Facebook.

No auge dos preços em 2017, celebridades como DJ Khaled, Steven Seagal, Floyd Mayweather, entre outros, falavam com frequência e publicamente sobre criptomoedas. O retorno das celebridades ao universo cripto pode ser um sinal de que os investidores do varejo, que até agora permaneciam à margem da recente corrida do bitcoin, estão prestes a entrar no mercado.

“Não se estresse. Ela (Lindsay Lohan) só quer que você saiba que o bitcoin vai para US$ 100 mil e o ethereum vai para US$ 10 mil“, disse um cientista da computação de Londres, que postou o vídeo no Twitter. A um amigo, o cientista confirmou que encomendou o vídeo para um grupo privado, chamado Crypto Buzz. Na Cameo, plataforma onde o vídeo foi divulgado, fãs pagam a celebridades pela gravação de vídeos.

Divulgação/Forbes
Divulgação/Forbes

Vídeo foi publicado no Cameo, plataforma em que fãs podem encomendar vídeos de celebridades

Lindsay Lohan, que pode ser contratada para fazer um vídeo personalizado por US$ 350 no Cameo, também deseja na mensagem “um próspero 2021 e esperando que todos vocês consigam conduzir suas lamborghinis para a lua” – um meme popular entre os entusiastas das criptomoedas.

Enquanto isso, o YouTuber KSI esta semana tweetou a palavra “ethereum”, assim que seu preço atingiu o pico de US$ 1.300 por token.

A Coinbase, com sede em São Francisco e uma das maiores exchanges de criptomoedas do mundo com quase 40 milhões de usuários, registrou um volume diário de negociação recorde nesta semana, de quase US$ 10 bilhões – mais do que o dobro das máximas de 2017.

As pesquisas do Google pela palavra “bitcoin” dispararam na primeira semana de 2021.

O crescente interesse do varejo pelo bitcoin e outras criptomoedas fez com que órgãos reguladores do Reino Unido emitissem um alerta severo para quem estivesse considerando investir em criptos: prepare-se para perder todo o seu dinheiro.

Enquanto a maioria na comunidade de criptomoedas está se sentindo otimista em relação a 2021, até mesmo os veteranos da criptomoeda estão cautelosos em fazer previsões para os preços do bitcoin.

“As previsões de preços estão repletas de riscos”, disse por e-mail William Quigley, gerente de fundos de criptomoeda da Magnetic e cofundador da stablecoin tether. “Ninguém sabe o que vai acontecer na moeda digital. Tudo o que podemos fazer é examinar os padrões históricos e rastrear as mudanças na demanda por criptomoedas”, comenta Quigley.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).