Morre Raymundo Magliano Filho, ex-presidente da Bovespa

Arquivo Magliano Invest/Divulgação
Arquivo Magliano Invest/Divulgação

Magliano Filho faleceu aos 78 anos, vítima do coronavírus

Faleceu na manhã de hoje (11), Raymundo Magliano Filho, ex-presidente da Bolsa de Valores de São Paulo, aos 78 anos, vítima de covid-19. Magliano Filho esteve nos últimos 50 dias internado no Hospital Albert Einstein para o tratamento da doença. Ele comandou a Bovespa por sete anos, de 2001 a 2008, e foi responsável pelo movimento de democratização da Bolsa de Valores.

Paulista, Magliano Filho nasceu em junho de 1942, formado em administração na Fundação Getulio Vargas (FGV) e desde jovem atuou no mercado de capitais trabalhando na Magliano Invest, primeira corretora de valores da Bolsa brasileira.

Na presidência da Bovespa (atual B3), Magliano Filho promoveu iniciativas como o “Bovespa vai até você”, que transportava profissionais da Bolsa em um furgão para todos os estados do Brasil com o objetivo de apresentar o mercado financeiro à população. A iniciativa passava por escolas, sindicatos, universidades, praias e foi responsável por, ao fim do seu mandato, aumentar em 525% o número de pessoas físicas cadastradas na Bovespa, de 80 mil para 500 mil CPFs. Todos os projetos idealizados por Magliano Filho à frente da Bovespa fizeram parte do programa “Bolsa Popular”.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em 2005, Magliano Filho fundou o Instituto Norberto Bobbio, em homenagem ao pensador italiano. O ex-presidente da Bovespa acreditava ser necessário existir um equilíbrio entre a igualdade e a liberdade, argumentando que a Bolsa privilegiava a liberdade, pelo caráter empreendedor e, por isso, era necessário pensar em igualdade. Dessa forma, o Instituto tinha o objetivo de pensar em ações que alinhassem os investimentos com projetos sociais e de sustentabilidade.

Filho de Raymundo Magliano, fundador da corretora e também ex-presidente da Bovespa na década de 1960, Magliano Filho era um profundo amante do mercado de capitais, com uma visão rara sobre o papel da Bolsa no desenvolvimento econômico e na sociedade. Sua gestão transformou a relação dos brasileiros com a Bolsa e do mercado financeiro com a população do país.

Arquivo Magliano Invest/Divulgação
Arquivo Magliano Invest/Divulgação

Raymundo Magliano Filho comandou a Bovespa por sete anos, de 2001 a 2008

É autor dos livros “Por uma Bolsa Democrática” e “Um caminho para o Brasil a reciprocidade entre sociedade civil e instituições”.

Leia abaixo o comunicado oficial do falecimento:

Faleceu nesta segunda-feira, 11 de janeiro, o Sr. Raymundo Magliano Filho (78), decorrente da Covid-19. Ele sofria de asma e estava há 50 dias internado no Hospital Albert Einstein. O Sr. Magliano, foi um dos grandes precursores do mercado financeiro à frente da primeira corretora da Bolsa de Valores brasileira, a Magliano Invest, fundada por seu pai. Foi presidente da Bovespa e um dos grandes responsáveis pelo movimento de popularização da Bolsa de Valores, deixando um grande legado para o mercado de capitais brasileiro.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).