Ibovespa fecha em alta, mas perde 0,6% na semana com incertezas domésticas

O Ibovespa encerrou a sexta-feira em leve alta de 0,11% aos 119.428 pontos, em dia de cautela e menor liquidez nos mercados às vésperas de feriados no Brasil e nos Estados Unidos. Embora o Carnaval tenha sido cancelado na cidade de São Paulo, as negociações na B3 serão retomadas apenas na quarta-feira (17). Já nos EUA, as Bolsas estarão fechadas na segunda-feira (15) devido ao Presidents’ Day.

O mercado financeiro segue acompanhando com apreensão as negociações no Congresso para um novo auxílio emergencial. Dúvidas quanto ao formato, formas de financiamento e extensão do socorro às famílias brasileiras pressionaram a Bolsa durante toda a semana.

“Existem também muitas dúvidas em relação a isso (auxílio emergencial). Se estender, vai romper o teto ou não? Por quanto tempo será? Não há nada definido ainda”, comenta João Beck, economista e sócio da BRA.

Ontem (11), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que para conceder o auxílio, é preciso a aprovação no Congresso de uma PEC de Orçamento de Guerra, autorizando despesas sem ferir parâmetros fiscais, como a regra de ouro e o teto de gastos, a exemplo do que ocorreu no ano passado. O governo estuda pagar um valor próximo de R$ 250 por um período de três ou quatro meses, sem estabelecer gatilhos para conter outras despesas.

“Assim como nos últimos dias, os juros futuros seguem em alta e o mercado deve acompanhar de perto neste feriado as movimentações em Brasília a fim de entender melhor como será estruturado o novo auxílio emergencial, se, como dito por Bolsonaro, irá respeitar o Pacto Federativo, ou, como sinalizado pelo Congresso, será na urgência e sem uma contrapartida de receita ou corte de gastos”, explica Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

Na semana, o índice brasileiro acumulou queda de 0,67%. Em 2021, no entanto, o Ibovespa registra alta de 0,35%. Na visão da analista da Rico Investimentos, Pam Semezzato, o “Ibovespa teve uma semana de total indecisão, sem mostrar força para retomada da tendência de alta, e sem ter força para testar o fundo anterior de 115.000. Apesar da indecisão, a tendência ainda é de alta e enquanto estiver acima dos 119.000 pontos dá sinais de possível retomada para alta.”

O dólar fechou em leve baixa nesta sexta-feira, recuando 0,27% a R$ 5,37 na venda, com investidores evitando grandes mudanças de posições antes do feriado bancário. O real ficou para trás em relação a seus pares latino-americanos, numa semana marcada no mercado doméstico por ruídos de ordem fiscal, o que ofuscou a aprovação da autonomia formal do Banco Central pela Câmara dos Deputados.

O risco de furo do teto de gastos é o tema central das análises de mercado sobre os rumos para a taxa de câmbio. Ontem, o Santander Brasil fez expressiva revisão de alta em sua estimativa para o dólar, em meio à deterioração das condições financeiras diante de riscos fiscais e do iminente retorno do auxílio emergencial. O banco projeta que o dólar fechará o ano em R$ 5,20, contra R$ 4,60 anteriormente.

Nos indicadores, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), mostrou contração de 4,05% em 2020, de acordo com os dados divulgados hoje pelo Banco. Em dezembro, o índice apresentou avanço de 0,64% na comparação com novembro, em dados dessazonalizados, contra expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 0,40%.

O mercado aguardava uma contração mais acentuada em 2020 e ganhos mais leves em dezembro. “A recuperação da economia surpreendeu até quem era otimista”, disse em post no Twitter Rafaela Vitoria, economista-chefe do banco Inter.

Na semana, no entanto, dados apurados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelaram queda de 0,2% na atividade do setor de serviços em dezembro e perda histórica (-7,8%) em 2020. Os números do varejo, divulgados também pelo IBGE, mostraram uma queda brusca nas vendas do segmento em dezembro (-6,1%), o pior resultado anual (+1,2%).

Em Wall Street, os índices fecharam o dia no azul, com o Dow Jones subindo 0,09% aos 31.458 pontos, o S&P 500 em alta de 0,47% aos 3.934 pontos e Nasdaq avançando 0,50% aos 14.095 pontos, numa semana marcada por altos e baixos no mercado norte-americano. Os investidores aguardam a aprovação do novo pacote de estímulo à economia, de US$ 1,9 trilhão, e acompanham também a vacinação da população no país.

Ontem, o presidente Joe Biden anunciou um acordo para compra de mais 200 milhões de vacinas. Mais de 65 milhões de doses já foram distribuidas nos Estados Unidos e 44,7 milhões administradas, segundo as autoridades de saúde. Os óbitos por Covid-19 no país já somam 475 mil, com mais de 27 milhões de casos confirmados desde o início da pandemia. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
CVCB3: +5,57% a R$ 19,90
BRKM5: +3,03% a R$ 30,22
PRIO3: +2,92% a R$ 79,59
TOTS3: +2,33% a R$ 34,64
RAIL3: +1,87% a R$ 20,18

Maiores Baixas
CIEL3: -6,63% a R$ 3,66
HAPV3: -2,38% a R$ 17,20
BPAC11: -2,33% a R$ 109,00
CPLE6: -1,91% a R$ 65,89
BRDT3: -1,77% a R$ 22,25

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).