Petrobras lidera perdas e pressiona Ibovespa após fala de Bolsonaro

O Ibovespa abre o último pregão da semana em queda, perdendo 0,41% aos 118.710 pontos, puxado pelo recuo acentuado nos papéis da Petrobras nos primeiros negócios do dia, com investidores repercutindo declarações do presidente Jair Bolsonaro e preocupações de novas interferências na política de preços da estatal. As ações da companhia (PETR3 e PETR4) desvalorizavam em torno de 4% às 10h20, horário de Brasília.

Na noite de ontem, o presidente afirmou em transmissão pelas redes sociais que “obviamente” haverá uma consequência para a fala do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, adicionando que “algo irá acontecer na Petrobras nos próximos dias”. Em evento no final de janeiro, o presidente da Petrobras disse que a ameaça de greve de caminhoneiros, que pedia a redução de preços do diesel, não era problema da estatal, que pratica preços de paridade internacional.

Em análise, a XP Investimento comenta que as declarações reforçam a percepção de riscos para a autonomia e a necessidade maior cautela com a estatal.

A Petrobras eleva a partir de hoje (19) em aproximadamente 15% o preço médio do diesel nas refinarias e em mais de 10% o da gasolina. Com o movimento, o diesel (combustível mais consumido do país) terá um aumento médio nas refinarias de R$ 0,34 por litro, para R$ 2,58 por litro. Já a gasolina terá elevação de cerca de R$ 0,23 por litro, para R$ 2,48/l.

Ainda no cenário doméstico, o texto da PEC Emergencial, que abre caminho para o pagamento da nova rodada do auxílio emergencial, deve ser votado em dois turnos na próxima quinta (25). Ontem, o governo sugeriu em reunião de líderes do Senado reduzir a amplitude da PEC para facilitar sua votação.

Em Wall Street, os índices futuros operam em alta nesta manhã. Os investidores norte-americanos aguardam hoje a divulgação de dados sobre a atividade industrial e do setor de serviços. A expectativa do mercado é de que os números apontem para uma robusta recuperação na economia dos EUA. A semana foi de pressão nas ações em Nova York, com preocupações sobre o ritmo da recuperação da atividade, altos valuations em papéis de tecnologia e aumento nos rendimentos dos títulos públicos pesando sobre o sentimento.

O dólar é negociado em queda contra o real nesta sexta-feira, recuando 0,56% negociado a R$ 5,41 na venda às 10h20, horário de Brasília, com ruídos domésticos em torno dos preços dos combustíveis e persistentes incertezas fiscais pesando sobre as negociações.

Nos destaques corporativos, o IRB Brasil Re registrou prejuízo líquido de R$ 1,521 bilhão em 2020, contra lucro de R$ 1,2 bilhão em 2019, informou a companhia na noite de ontem (18). No último trimestre do ano, o resultado foi negativo em R$ 620,2 milhões, ante R$ 654,4 milhões de lucro líquido registrado no mesmo período de 2019. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).