Forbes Radar: Light, Isa Cteep, Omega, Gol e outros destaques corporativos

No Forbes Radar de hoje (30), companhias anunciaram resultados trimestrais. A Amazon registrou lucro líquido de US$ 8,1 bilhões no primeiro trimestre de 2021. Já o grupo Fleury teve lucro líquido de R$ 118,6 milhões e a Isa Cteep apresentou lucro líquido de R$ 308,1 milhões.

Ao mesmo tempo, a Omega Geração destacou prejuízo líquido de R$ 93,8 milhões de janeiro a março e a Gol teve prejuízo de R$ 2,5 bilhões.

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

Amazon (AMZO34)

A Amazon registrou lucro líquido de US$ 8,1 bilhões no primeiro trimestre de 2021, alta de 224% na comparação com 2020.

A empresa também superou expectativas do mercado com a divulgação de receita de primeiro trimestre que mostrou que a empresa segue se beneficiando das medidas de isolamento social, o que fazia as ações da companhia subirem 4% no pregão estendido.

A receita líquida da empresa subiu para US$ 108,52 bilhões no trimestre, ante US$ 75,45 bilhões um ano antes. O faturamento superou a expectativa média de analistas de US$ 104,47 bilhões, segundo dados da Refinitiv.

A Amazon divulgou também projeções para o segundo trimestre. A companhia espera que o lucro operacional de abril a junho seja de entre US$ 4,5 bilhões e US$ 8 bilhões, o que inclui cerca de US$ 1,5 bilhão em custos relacionados à pandemia.

Fleury (FLRY3)

O grupo de medicina diagnóstica Fleury teve lucro líquido de R$ 118,6 milhões no primeiro trimestre, mais que o dobro do obtido no mesmo período do ano passado, impulsionado por avanço no número de exames eletivos, além de demanda por testes de Covid-19.

A companhia apurou uma geração de caixa medida do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 285,5 milhões de janeiro ao fim de março, um salto de 45,7% no comparativo anual. A margem subiu 27,4% para 31,9%.

O faturamento líquido do primeiro trimestre cresceu 25,2%, para R$ 893,8 milhões. A margem líquida subiu cerca de cinco pontos percentuais, para 13,3%.

Segundo o Fleury, os exames de Covid-19 foram responsáveis por 9,7% da receita bruta total no primeiro trimestre ante 11,1% no quarto trimestre.

Enquanto isso, o custo de serviços prestados recuou como percentual da receita líquida de 73,7% no primeiro trimestre do ano passado para 67,9% nos três meses encerrados em março. Já as despesas operacionais, também em relação ao faturamento líquido, recuaram de 11% para 9,9%.

Isa Cteep (TRPL4)

A transmissora de energia Isa Cteep, controlada pelo grupo colombiano Isa, reportou lucro líquido de R$ 308,1 milhões no primeiro trimestre, praticamente estável frente ao mesmo período do ano anterior, embora com importante avanço nos ganhos operacionais.

Os Ebitda da companhia cresceram 16,7% na comparação anual, para R$ 696,8 milhões, enquanto o Ebitda ajustado registrou salto de 28,5%, para R$ 770,4 milhões.

Os aportes em reforços e melhorias dispararam 726,8% frente a 2020, somando R$ 58,7 milhões, em meio a planos da Cteep de aumentar os recursos direcionados a esses empreendimentos, modernizando sua rede e trocando equipamentos antigos.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Omega Geração (OMGE3)

A empresa de energia renovável Omega Geração registrou prejuízo líquido de R$ 93,8 milhões de janeiro a março, acima das perdas de R$ 51,7 milhões no mesmo período de 2020, quando os resultados foram beneficiados por ganhos não recorrentes na aquisição do parque eólico Assuruá 3.

A piora no desempenho veio apesar de uma produção recorde para o primeiro trimestre nas usinas da companhia, com salto de 144% em comparação anual, disse a Omega ao divulgar os números ontem (29), destacando que as características de seus empreendimentos fazem com que eles apresentem “níveis de produção mais elevados a partir do mês de julho”.

O Ebitda da elétrica somou R$ 193,5 milhões no trimestre, avanço de 57% ano a ano, enquanto o Ebitda ajustado saltou 137%, para R$ 236,8 milhões.

Omega também registrou perda financeira de R$ 176,7 milhões, versus R$ 104,5 milhões no primeiro trimestre de 2020, devido aos juros de novas debêntures emitidas em março e pelo custo financeiro do endividamento associado ao complexo eólico Chuí, adquirido por ela no ano passado.

Já a receita líquida da geradora aumentou 92% frente ao primeiro trimestre de 2020, para R$ 370,2 milhões.

Gol (GOLL4)

O prejuízo líquido da Gol quase triplicou no primeiro trimestre, já que a pandemia do coronavírus reduziu a demanda por voos, disse ontem (29), horas após anunciar que estava buscando mais dinheiro dos investidores.

O prejuízo líquido da Gol subiu para R$ 2,5 bilhões, ante perda de R$ 900 milhões no último trimestre de 2020, e ela disse que espera apenas um aumento modesto na demanda no segundo trimestre.

A Gol disse que a demanda por viagens aumentou 4% na terceira semana de abril ante mesma semana de março e que agora espera que sua capacidade no segundo trimestre chegue a cerca de 61% dos níveis pré-pandêmicos.

A receita de passageiros entre janeiro e março ficou em R$ 1,4 bilhão, abaixo dos R$ 1,7 bilhão no trimestre anterior, e metade do que a companhia gerou no mesmo período de 2020.

Embraer (EMBR3)

A fabricante de aviões Embraer reportou ontem (29) um prejuízo líquido de US$ 90 milhões no primeiro trimestre, ante perda líquida de US$ 300 milhões um ano antes, graças ao aumento nas entregas de aeronaves comerciais à medida que a pandemia diminui.

A carteira de pedidos da fabricante de aviões, uma medida do que os investidores de receitas futuras podem esperar, era de US$ 14,2 bilhões em 31 de março, mas deve subir no segundo trimestre graças aos novos pedidos.

Vale (VALE3)

A mineradora Vale teve uma subsidiária, a Companhia Portuária Baía de Sepetiba (CPBS), multada em R$ 2,38 milhões pela prefeitura de Itaguaí, no Rio de Janeiro, após inspeção e vistoria da Secretaria Municipal do Ambiente e Sustentabilidade, informou a administração da cidade.

A inspeção aconteceu no Terminal de Minério de Ferro e Granéis Sólidos localizado na Ilha da Madeira, em Itaguaí.

“Ao todo foram mais de dezessete irregularidades anotadas no relatório de vistoria que vão desde a ausência de uma central de resíduos, até a Licença de Operação que está vencida há cerca de nove anos”, afirmou a prefeitura em comunicado.

Procurada pela Reuters, a Vale não respondeu de imediato a um pedido de comentários sobre a autuação.

Petrobras (PETR4)

A Petrobras informou que decidiu aderir ao programa PEP-ICMS de parcelamento do governo do Rio de Janeiro para encerrar contingências com a administração estadual sobre o pagamento de ICMS que somavam valor estimado de R$ 1,53 bilhão, segundo comunicado da companhia.

O fim da disputa ocorrerá “mediante desembolso de R$ 544 milhões, com custo evitado de 64%”, afirmou a petroleira.

A Petrobras disse ainda que, do total a ser pago, R$ 268 milhões envolvem débitos que estavam sendo contestados em contencioso administrativo ou judicial e que já se encontravam provisionados nas demonstrações financeiras da companhia referentes a 2020.

Além disso, segundo as regras do programa de parcelamento, garantias anteriormente depositadas de R$ 188 milhões serão recuperadas pela companhia, autorizadas pelo Judiciário, acrescentou.

Caterpillar (CATP34)

A Caterpillar teve lucro ajustado do primeiro trimestre de US$ 2,87 por ação, ante US$ 1,65 um ano antes. Analistas consultados pela Refinitiv, em média, esperavam lucro de US$ 1,94 por ação.

As vendas de equipamentos aumentaram 13% no comparativo anual no trimestre, para US$ 11,2 bilhões, lideradas por um aumento de 72% nas vendas de máquinas de construção na Ásia.

As ações da empresa subiram 27% desde seu último balanço, com investidores apostando que esse ritmo, junto com um aumento dos preços das commodities e um estímulo de infraestrutura do governo Joe Biden, vão elevar as vendas de suas máquinas.

Duratex (DTEX3)

A Duratex teve lucro líquido de R$ 172,6 milhões no primeiro trimestre, alta de 232,2% contra o mesmo período de 2020.

A receita líquida consolidada foi de R$ 1,7 bilhão no trimestre, acima de 52,2% na comparação anual. Já o Ebitda somou R$ 464 milhões, 74,4% superior em comparação com os três primeiros meses do ano passado.

Lojas Renner (LREN3)

A Lojas Renner precificou o follow-on a R$ 39, levantando R$ 3,9 bilhões. A empresa informou que tem a intenção de usar o dinheiro para o desenvolvimento e fortalecimento do ecossistema de moda e lifestyle da companhia por meio de iniciativas orgânicas e inorgânicas.

Twitter (TWTR34)

O Twitter divulgou ontem (29) um salto na receita, impulsionada por melhorias de produto que trouxeram resultado acima do esperado.

Mas a companhia afirmou que os custos e despesas subiram e que o crescimento de usuários neste ano pode ser mais lento nos próximos trimestres. As ações da empresa caíram 8,7% no pregão estendido

O faturamento total do trimestre foi de US$ 1,04 bilhão, 28% acima do registrado um ano antes e praticamente em linha com a média de expectativas do mercado, de US$ 1,03 bilhão.

O Twitter reportou 199 milhões de usuários diários ativos, 20% mais que um ano antes. Analistas esperavam 200 milhões, segundo a FactSet.

Grendene (GRND3)

A Grendene registrou, no primeiro trimestre de 2021, lucro líquido de R$ 129,2 milhões, 334,3% superior ao mesmo período de 2020, chegando a uma receita bruta de R$ 644,3 milhões, 43% maior do que no ano passado.

A companhia também apresentou crescimento nas margens bruta, ampliando de 41,2% em 2020 para 45,1% este ano; na Ebit, de 10,7% para 19,8%; na Ebtida, de 16,3% para 24,3%; e na Líquida, de 8% para 24,7%.

Mesmo em mais um período desafiador em função dos impactos gerados pela pandemia da Covid-19, a companhia alcançou, nos primeiros três meses deste ano, um volume de pares negociados de 35,4 milhões, contra 26 milhões registrados no primeiro trimestre de 2020. O incremento foi de 36,2%, tendo o mercado interno registrado 27,3 milhões; e as exportações, 8,1 milhões em 2021.

Outro destaque foi o avanço da receita líquida em 40,6%, passando de R$ 372,2 milhões para R$ 523,3 milhões.

“Em contrapartida ao impacto gerado às exportações para os mercados do hemisfério norte, a Grendene realizou alterações na sua gestão comercial e em seus canais de distribuição, o que facilitou o ingresso de novos parceiros de distribuição em diversos mercados, ampliando o número de países-destinos exportados”, explica o diretor de Relações com Investidores da companhia, Alceu Demartini de Albuquerque.

Ele também disse que, se por um lado, os canais de vendas diretos e magazines sofreram com as restrições causadas pela pandemia, os canais indiretos e de autosserviço apresentaram crescimento de 91% e 84% (em receita bruta), respectivamente, em comparação ao primeiro trimestre de 2020, e foram responsáveis pela performance positiva da companhia neste trimestre.

Eletrobras (ELET6)

O conselho de administração da Eletrobras aprovou o exercício do direito de preferência e consequente aquisição, por parte da controlada CGT Eletrosul, de participações da CEEE-GT na FOTE (Fronteira Oeste Transmissora de Energia) e na TSLE (Transmissora Sul Litorânea de Energia).

Segundo fato relevante publicado pela elétrica, serão pagos à companhia gaúcha os preços mínimos ofertados de R$ 83 milhões pela participação de 49% na FOTE e de R$ 217,55 milhões pela fatia na TSLE, também de 49%.

A CGT Eletrosul já mantém os outros 51% das ações de ambas as companhias.

“A intenção da CGT Eletrosul com a consolidação desses ativos é futuramente promover a sua incorporação, no escopo da iniciativa de racionalização das participações societárias da Eletrobras”, disse a empresa.

O prazo para manifestação de interessa da CGT Eletrosul à CEEE-GT vigora até 11 de maio, conforme acordo de acionistas.

PetroRecôncavo (RECV3)

Termina hoje o período de reserva de ações da PetroRecôncavo. A companhia que tem estreia prevista na B3 para a próxima quarta-feira (5) está com o intervalo indicativo de preço por ação entre R$ 15,50 e R$ 19,50.

Considerando o preço médio de R$ 17,50 e a oferta-base de 70 milhões de ativos, a companhia pode levantar cerca de R$ 1,2 bilhão. A Petro Recôncavo ainda pode contat com um lote adicional de 14 milhões de ações e de um lote suplementar de 10,5 milhões.

Segundo a empresa, o montante levantado será dividido em: pagamento das aquisições de ativos da Petrobras realizadas e em curso (55%) potencial aquisição de ativos da Petrobras (35%) e e aumento da posição de caixa (10%).

Sabesp (SBSP3)

A Sabesp destinou R$ 271 milhões para o pagamento de JCP, sendo R$ 0,3979 por ação ordinária, que serão pagos em 28 de junho, aos acionistas detinham ações até ontem (29). Os ativos passam a ser negociadas ex-juros a partir de hoje.

Arezzo (ARZZ3)

A Arezzo irá pagar R$ 2 milhões em dividendos, equivalente a R$ 0,02592 por ação. De acordo com a companhia, “terão direito ao dividendo os acionistas detentores de ativos até ontem (29).” Os papéis da Arezzo serão negociadas ex-dividendos a partir de hoje (30).

O pagamento dos dividendos no Brasil será realizado até o final do exercício social de 2021.

Usiminas (USIM5)

Outra companhia que anunciou o pagamento de dividendos é a Usiminas. A empresa destinou o montante de R$ 159 milhões, sendo R$ 0,11992 por ação ordinária e R$ 0,13191 por ação preferencial. O pagamento ocorrerá em 31 de maio para os ivestidores que estiverem na base-acionária até ontem (29).

B3 (B3SA3)

A B3 informou que o conselho de administração reestruturou a direção executiva da companhia

  • Viviane Basso (atual diretora de pós-negociação) – assume a posição de Vice-presidente de operações
  • Mario Palhares (atual diretor de produtos) – assume a posição de vice-presidente de Operações

Oi (OIBR4)

A Oi anunciou que o prazo limite para a subscrição e integralização da 1ª emissão da Brasil Telecom Comunicação, controlada indireta da companhia, no valor total de até R$ 2,2 bilhões, foi prorrogado para até o dia 17 de maio.

Sendas Distribuidora (ASAI3)

A Sendas Distribuidora destinou R$ 348 milhões para o pagamento de dividendos, equivalente a R$ 1,29846211 por ação. Sendo R$ 263 milhões em JCP e R$ 84 em dividendos mínimos.

De acordo com a companhia, o pagamento ocorrerá 07 de junho, com base na posição acionária de 28 de abril.

Light (LIGT3)

A Light informou que na noite de ontem foram eleitos novos membros para o conselho de administração da companhia:

  • Abel Alves Rochinha
  • Ana Amelia Campos Toni
  • Carlos Vinicius de Sá Roriz
  • Firmino Ferreira Sampaio Neto
  • Hélio Paulo Ferraz
  • Lavinia Rocha de Hollanda
  • Vanessa Claro Lopes
  • Wilson Martins Poit
  • Yuiti Matsuo Lopes

E também para o conselho fiscal:

  • Luiz Paulo de Amorim (Efetivo) e Natalia Carneiro de Figueiredo (Suplente)
  • Sergio Xavier Fortes (Efetivo) e Edgar Jabbour (Suplente)
  • Ary Waddington (Efetivo) e Marcelo Souza Monteiro (Suplente)

Ao mesmo tempo, a companhia informou o pagamento de dividendos no valor de R$ 164 milhões, sendo R$ 0,44109282 por ação. Segundo a Light, “a remuneração será de acordo com as posições acionárias existentes no pregão de ontem (29) e a remuneração será realizada até o final do exercício social de 2021”.

A Light também realizou um agrupamento com o desdobramento simultâneo de ações, ou seja, a operação consistirá no grupamento das 372 milhões ações ordinárias sendo a razão de cem para 1, com o simultâneo desdobramento dos ativos emproporção de 1 para 100 resultando em mais 372 milhões de ativos. Os ADRs da companhia também sofrerão esse processo.

A empresa justifica que “a movimentação tem por objetivo, diante da existência de um grande número de acionistas detentores de participações acionárias inferiores a cem ações, cuja maioria se encontra na condição de inativas, acabam gerando significativo volume de serviços e custos operacionais para a Light”.

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).