Assaí mais do que dobra o lucro no 1º trimestre

A bandeira de atacarejo Assaí divulgou hoje (4)  lucro líquido de R$ 240 milhões para o primeiro trimestre, mais do que o dobro em relação ao desempenho obtido no mesmo período do ano passado

O desempenho operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) cresceu 44%, para R$ 640 milhões.

LEIA MAIS: Lucro do Assaí cresce 31% no 4º tri, para R$ 299 milhões

A companhia informou receita líquida de R$ 9,45 bilhões de janeiro a março, alta de 21% no comparativo anual.

As despesas com vendas, gerais e administrativas como parcela da receita líquida subiram de 9,2% para 9,5%. A margem bruta avançou de 15,6% para 16%.

Segundo o Assaí, as vendas mesmas lojas subiram 11,4% no período, apesar de “boa parte de nossas lojas terem tido restrições no fluxo de clientes e no horário de funcionamento, incluindo até o fechamento de algumas unidades durante os finais de semana”. No primeiro trimestre de 2020, as vendas mesmas lojas tinham crescido 7,1%, informou a empresa no balanço.

A empresa disse que o primeiro trimestre foi “positivamente impactado pelo forte movimento de estocagem da última quinzena de março”, em meio a ações de flexibilização de medidas de isolamento social tomadas por prefeituras e governos estaduais. A inflação dos alimentos do período também apoiou o desempenho.

O Assaí abriu em 12 meses até março 18 lojas e informou que está mantendo o plano de 25 a 28 aberturas neste ano. O GPA divulga seu resultado amanhã (5), após o fechamento do mercado.(Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).