Ibovespa abre em alta em dia de otimismo por reaberturas nos EUA

O Ibovespa iniciou o último pregão da semana em alta de 0,34%, a 121.114 pontos, refletindo o clima de recuperação no exterior, com investidores aproveitando as barganhas das quedas recentes. O bom humor lá fora é impulsionado pela nova orientação do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos Estados Unidos de que pessoas totalmente vacinadas não precisam usar máscaras em ambientes abertos nem fechados. A notícia reforça a eficácia das vacinas e dá esperança concreta sobre as reaberturas.

O dólar recua 0,54% ante o real, a R$ 5,2801, favorecido pelo dia de maior apetite por risco global e com o recuo da divisa norte-americana ante pares no exterior medido pelo índice DXY. As declarações de membros do Federal Reserve de que a autoridade não fará um aperto monetário antes do esperado ajuda no tom.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A agenda de balanços carregada da véspera agrega ao tom da sessão. A Petrobras conseguiu reverter o prejuízo recorde de R$ 48,5 bilhões do primeiro trimestre de 2020 e apresentou lucro líquido de R$ 1,17 bilhão referente aos três primeiros meses de 2021. No entanto, o número ficou abaixo dos R$ 59,9 bilhões do trimestre anterior.

Os índices futuros das Bolsas norte-americanas apontam para abertura em alta, em uma semana de três dias de baixas por preocupação com os resultados da inflação. Os dados de varejo nos Estados Unidos, divulgados antes da abertura, ficaram no zero a zero na leitura mensal em abril, ante expectativa de alta de 1,0%. Os EUA divulgam ainda pela manhã os dados de produção industrial.

A decisão do CDC de ontem, sobre a liberação do uso de máscaras, traz o bom humor. Para Pablo Spyer, diretor da EQI Investimentos, “ajuda o comunicado que a Casa Branca soltou ontem à noite, dizendo que quem já foi vacinado não precisa usar máscara e nem manter o isolamento social. É a abertura de verdade vindo aí”.

As ações europeias também sobem, seguindo o movimento nos EUA, o Stoxx 600 cresce 0,62%. Na Alemanha, o DAX sobe 0,75%; enquanto o CAC 40 valoriza 0,82% na França; na Itália, o FTSE MIB é negociado em alta de 0,51%; e o FTSE 100, 0,69%, no Reino Unido. As disputas entre israelenses e palestinos em Gaza ainda são um ponto de atenção, e devem permanecer ao longo do fim de semana, assim como o descontrole da pandemia na Índia.

No mesmo caminho dos EUA, o Ministério da Saúde italiano informou hoje (14) que revogará as restrições de quarentena para viajantes que chegam de países europeus, assim como do Reino Unido e de Israel, a partir do próximo dia 16. No entanto, a pasta acrescentou que as restrições atualmente vigentes para pessoas que viajam do Brasil estão mantidas.

O mercado asiático fechou a semana em território positivo, acompanhando o bom humor global, com o índice Shanghai, da China, subindo de 1,77%%. No Japão, o índice Nikkei cresceu 2,32%; o Hang Seng, de Hong Kong, valorizou 1,11%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou a semana em alta de 0,09%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).