Ibovespa fecha em queda com bancos e ações de tecnologia no exterior

O Ibovespa encerrou em queda de 1,26% aos 117.712 pontos o pregão de hoje (4), com Itaú (ITUB4) recuando 4,2% após divulgação de resultados do primeiro trimestre. Apesar de registrar lucro de R$ 5,41 bilhões no período, o banco trouxe dados operacionais abaixo das expectativas do mercado.

O índice brasileiro foi pressionado também pela correção observada em Wall Street e por investidores monitorando os depoimentos de ex-ministros da saúde na CPI da Covid no Senado. A realização de lucros foi amparada ainda pela cautela do mercado às vésperas da decisão do Copom sobre os rumos da política monetária. A expectativa consensual é de nova elevação de 0,75 ponto percentual na taxa de juros, para 3,5% ao ano.

Ainda no contexto doméstico, o relator da reforma tributária na comissão mista do Congresso, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), iniciou hoje a leitura de seu parecer sobre a restruturação do sistema de tributos e impostos.

O texto preliminar manteve a unificação de tributos federais, estaduais e municipais, com uma legislação única e nacional, adotando ainda o princípio do destino, em que a arrecadação de imposto ocorre no local onde o bem ou o serviço é consumido. A versão final do relatório deve ser apresentada na próxima terça-feira.

O dólar à vista encerrou o dia em alta de 0,20% frente ao real, negociado a R$ 5,42 na venda, em movimento mais brando do que o observado no exterior, com operadores evitando grandes mudanças de posição em meio a debates sobre reformas econômicas e à CPI da Covid no Senado.

“Pelos fundamentos o real está mais depreciado do que deveria, e o exterior deverá continuar favorável de forma geral, então vemos espaço para o dólar fechar o ano até abaixo de R$ 5,20”, avalia Rafael Sales, analista econômico da Arazul Capital.

Em Nova York, o índice Nasdaq fechou em forte queda hoje, recuando 1,88% aos 13.633 pontos, com investidores ampliando a aposta em ações ligadas à reabertura da economia e, por sua vez, diminuindo a participação dos papéis de tecnologia em seus portfólios. O movimento encontrou suporte ainda em comentários da secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, sobre a necessidade potencial de um aumento da taxa de juros a fim de evitar um superaquecimento da economia do país.

“Pode ser que as taxas de juros tenham que subir um pouco para garantir que nossa economia não superaqueça, mesmo que os gastos adicionais sejam relativamente pequenos em relação ao tamanho da economia”, disse ela em comentários para evento virtual do The Atlantic.

“Isso poderia levar a alguns aumentos muito modestos nas taxas de juros para se conseguir essa realocação, mas esses são investimentos de que nossa economia precisa para ser competitiva e produtiva (e) eu acho que nossa economia vai crescer mais rapidamente por causa deles.”

Em decisão na semana passada, o Federal Reserve manteve a taxas de juros dos EUA próximas de zero, justificando que os impactos da pandemia sobre a economia norte-americana ainda demandam apoio da autoridade monetária.

Sete dos 11 principais setores do S&P 500 caíram na sessão de hoje, com tecnologia, serviços de comunicação e consumo discricionário liderando os declínios. No fechamento, o índice perdeu 0,67% aos 4.164 pontos.

“Wall Street não descobrirá se o Fed está cometendo um erro de política monetária até que se passem vários meses, e isso está deixando alguns operadores nervosos”, escreveu em nota Edward Moya, analista senior de mercado da Oanda. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).