PMEs acreditam na tecnologia como condição para a recuperação econômica

ipopba/Getty Images
ipopba/Getty Images

Segundo o estudo, para 78% dos respondentes a adoção de novas tecnologias é a mudança mais fácil de ser implementada para a retomada no pós-pandemia

A Microsoft divulgou hoje (28) o estudo “Como as PMEs Brasileiras Enfrentaram a Pandemia de Covid-19”, para o qual ouviu mais de 500 micro, pequenas e médias empresas do país por meio de seus proprietários e funcionários em cargos de tomada de decisão. O objetivo do levantamento é entender como a fatia responsável por 60% dos empregos do país assimila a adoção de novas tecnologias, o trabalho remoto, a capacidade de reinvenção e a implementação de estratégias de marketing digital.

Segundo o estudo, para 78% dos respondentes a adoção de novas tecnologias é a mudança mais fácil de ser implementada para a retomada no pós-pandemia. No caminho da transformação digital, 73% das PMEs disseram estar preparadas para os desafios do marketing digital e 71% para questões relacionadas ao trabalho remoto.

VEJA TAMBÉM: Seis dúvidas mais comuns das PMEs sobre o PIX

Priscyla Laham, vice-presidente de vendas para o mercado corporativo e SMB da Microsoft Brasil, disse, durante a divulgação dos resultados da pesquisa, “que a otimização das operações por meio da transformação digital já vinha acontecendo, mas a pandemia acelerou o processo”. A executiva frisou, ainda, a necessidade de assimilar o que as empresas entendem por cirbersegurança, visto que o uso de novas ferramentas tecnológicas requer mais cuidado com as informações – e se tornou um ponto de inflexão para qualquer negócio com a implementação da LGPD em 2020.

Protagonismo tecnológico

As plataformas de comunicação e colaboração conquistaram protagonismo na rotina de trabalho durante o isolamento social. Para 66% dos entrevistados, os softwares de videoconferência representam a principal adoção de tecnologia. Na sequência, empatadas com 55%, estão as ferramentas de armazenamento na nuvem e de trabalho remoto. Mais de 75% dos participantes disseram estar familiarizados com os novos recursos.

Com a crise sanitária, ainda segundo o levantamento, 42% das PMEs aceleraram a adoção de novas tecnologias e 83% dos entrevistados afirmaram que este é o caminho mais assertivo para a recuperação econômica das empresas no país. Neste mesmo caminho, 82% dos negócios consultados pretendem dar sequência ao processo de transformação digital após o fim da pandemia de Covid-19. Em contraponto, apenas 51% deles aderiu à políticas de segurança cibernética e 52% disseram estar preparados para os desafios de cibersegurança.

Objetivos e estratégias

Dentre as principais mudanças adotadas pelas empresas está a reinvenção das estratégias de marketing, que foi prioridade para 60% dos entrevistados. Na sequência, está a remodelação do produto ou serviço (45%) e dos canais de vendas (41%).

“Essa reinvenção foi necessária. O momento pede um olhar atento para as soluções que fazem sentido e busca por oportunidades, sempre levando em consideração a transformação digital”, comenta Priscyla.

Com a necessidade de chegar até o cliente, 75% das PMEs disseram que optaram por mudanças na comunicação de mídia social. O destaque para o pós-pandemia fica com as microempresas – 92% pretende continuar com sua estratégia de marketing digital.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).