Microsoft sela contrato de US$ 22 bilhões para headset de realidade ampliada ao exército dos EUA

Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

A Microsoft tem trabalhado com o Exército dos EUA nos últimos dois anos em um protótipo do Ivas

A Microsoft anunciou hoje (31) que venceu uma licitação para vender ao Exército dos Estados Unidos óculos de realidade aumentada baseados em seu HoloLens e uma solução de serviços de computação em nuvem.

O contrato pode ser avaliado em até US$ 21,9 bilhões ao longo de 10 anos, afirmou um porta-voz da Microsoft.

LEIA MAIS: Microsoft investe em programa de requalificação profissional do LinkedIn

Nos últimos dois anos, a Microsoft tem trabalhado com o Exército norte-americano em um protótipo do chamado de Sistema Integrado de Aumento Visual (Ivas, na sigla em inglês). A companhia afirmou hoje que o Exército decidiu avançar o projeto para a fase de produção.

A Microsoft afirmou que os óculos do contrato são projetados para entregar “consciência situacional aprimorada, permitindo o compartilhamento de informações e de tomada de decisão em uma variedade de cenários”.

A Microsoft já tinha vencido uma licitação de US$ 10 bilhões envolvendo serviços de computação em nuvem para um projeto chamado Jedi, do Pentágono. Mas este contrato foi alvo de questionamentos pela Amazon.com.

Depois que a Microsoft anunciou que obteve um contrato de US$ 480 milhões em 2018 para fornecer protótipos para o Exército dos EUA, pelo menos 94 empregados da companhia pediram para ela cancelar o negócio e parar de desenvolver “toda e qualquer tecnologia de armas”, publicou a Reuters na época. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).