Estudo indica que smartwatches podem detectar Covid-19

Guido Mieth/Getty Images
Guido Mieth/Getty Images

Mudanças na frequência cardíaca e nível de oxigênio foram taxas observadas em pesquisa para monitorar a contaminação da Covid-19

Um novo estudo mostrou que dispositivos como Apple Watch, Fitbit e Garmin podem detectar a Covid-19 antes mesmo que o usuário perceba que está infectado.

Os smartwatches são cada vez mais eficazes como ferramentas de monitoramento de saúde. Os modelos mais recentes oferecem métricas como nível de oxigênio no sangue (medidas que podem ser um indicador útil agora, pois estão relacionadas à Covid-19).

LEIA TAMBÉM: Butantan entregará 4,6 milhões de doses da CoronaVac ao ministério

Um estudo recente do Mount Sinai Health System em Nova York, noticiado pela “CBS News”, descobriu que smartwatches capazes de monitoramento contínuo ou frequente da frequência cardíaca podem detectar mudanças sutis no batimento cardíaco de um usuário.

Essas mudanças podem sinalizar que o usuário tem Covid-19 sete dias antes que quaisquer sintomas sejam sentidos ou que a infecção possa ser detectada por teste. O estudo acompanhou quase 300 profissionais de saúde do Monte Sinai usando Apple Watches entre 29 de abril e 29 de setembro de 2020. A Apple não estava envolvida no estudo.

Rob Hirten, professor assistente de medicina na Icahn Escola de Medicina no Mount Sinai, em Nova York, disse: “Nosso objetivo era usar ferramentas para identificar infecções no momento da contaminação ou antes que as pessoas percebessem que estavam doentes. Já sabíamos que os marcadores de variabilidade da frequência cardíaca mudam à medida que a inflamação se desenvolve no corpo, e a Covid é um evento inflamatório. Isso nos permite prever que as pessoas estão infectadas antecipadamente.”

O estudo mostrou que a variabilidade na frequência cardíaca, ou seja, a variação no tempo entre os batimentos cardíacos, era diferente nas pessoas com Covid-19 em comparação àquelas sem a doença.

A alta variabilidade da frequência cardíaca não significa algo elevado. Isso indica que o sistema nervoso de um indivíduo é ativo, adaptável e mais resistente ao estresse.

Tudo isso é importante, porque, ao que parece, mais da metade dos casos de Covid-19 são disseminados por portadores assintomáticos, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, o CDC norte-americano. Se um portador descobrir que está contaminado, mesmo sem apresentar sintomas, ele pode ter o cuidado de se isolar.

Um dos benefícios de dispositivos como o Apple Watch é que eles estão sempre no pulso do proprietário, proporcionando uma forma de coleta de dados constante e sem esforço –o relógio faz todo o trabalho, não há necessidade de inserir nada.

Outros estudos, incluindo um da Universidade de Stanford e um da Fitbit, estão acontecendo e têm como objetivo encontrar indicativos de Covid-19 o mais cedo possível.

O próximo estágio será fazer com que esses dispositivos informem ao usuário sobre as indicações descobertas. Mesmo que a ideia de que seu relógio pudesse dizer que você tem Covid-19 não pareça algo agradável, seus amigos e parentes poupados com a doença ficarão gratos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).