Vacinas contra Covid têm reduzido risco de hospitalizações, indica estudo escocês

Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

Imunizantes da Pfizer e da AstraZeneca estão sendo aplicados no país e cerca de 21% da população já foi vacinada

A campanha de vacinação da Escócia parece estar reduzindo acentuadamente o risco de hospitalizações por Covid-19, o que leva a crer que as vacinas Pfizer-BioNtech e Oxford-AstraZeneca são altamente eficientes na prevenção de infecções graves, mostraram conclusões preliminares de um estudo hoje (22).

Os resultados do estudo, que cobriu toda a população escocesa de 5,4 milhões de habitantes, mostraram que, quatro semanas após a dose inicial, viu-se que as vacinas da Pfizer e da AstraZeneca diminuíram o risco de hospitalizações em até 85% e 94%, respectivamente.

VEJA TAMBÉM: OMS aprova vacina da AstraZeneca/Oxford para uso emergencial

“Estes resultados são muito animadores e nos deram muitas razões para ser otimistas com o futuro”, disse Aziz Sheikh, professor do Instituto Usher da Universidade de Edimburgo que coliderou o estudo.

Em uma entrevista coletiva, Sheikh alertou que os resultados são dados preliminares, ainda a serem analisados por cientistas independentes, mas acrescentou: “Estou muito esperançoso. Agora temos indícios nacionais… de que a vacinação oferece proteção contra hospitalizações por Covid-19″.

Ele disse acreditar que países usando as mesmas duas vacinas e uma estratégia semelhante – como Inglaterra e País de Gales, por exemplo – verão um resultado positivo parecido na redução do número de pessoas sendo hospitalizadas com Covid-19.

Os dados do efeito das vacinas na Escócia foram coletados entre 8 de dezembro e 15 de fevereiro. Pesquisadores disseram que, durante este período, 1,14 milhão de vacinas foram administradas e que 21% da população escocesa recebeu uma primeira dose.

Entre as pessoas de 80 anos e mais, um dos grupos mais vulneráveis à Covid-19, a vacinação foi associada a uma redução de 81% no risco de hospitalizações na quarta semana quando os resultados das duas vacinas foram combinados.

Jim McMenamin, diretor de incidentes de Covid-19 da rede pública de saúde do país, disse que as conclusões são particularmente importantes “ao passarmos da expectativa para os indícios firmes de benefícios das vacinas”. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).