Jeff Bezos e MacKenzie Scott ganham US$ 12 bilhões antes do Amazon Prime Day

Taylor Hill/FilmMagic
Taylor Hill/FilmMagic

Jeff Bezos teve um aumento de US$ 8,8 bilhões e MacKenzie Scott, com participação de 3% na empresa, ficou US$ 3 bilhões mais rica

As ações do setor de tecnologia se recuperaram nesta semana, após a queda da última sexta-feira (2) em resposta à notícia de que o presidente norte-americano, Donald Trumps e vários de seus funcionários foram diagnosticados com Covid-19. Mesmo com uma investigação recém-divulgada da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, que era altamente crítica às quatro maiores empresas de tecnologia do país, as companhias fecharam no positivo.

As ações da Amazon subiram 5% ao longo da semana, em comparação com um aumento de 3,2% e 3,8% do Dow Jones Industrial Index e do S&P 500, respectivamente. Só ontem, elas valorizaram 3%, depois que a empresa revelou uma série de outros produtos que terão grandes descontos durante o evento anual de compras, o Amazon Prime, programado para 13 e 14 de outubro.

LEIA MAIS: 8 bilionários mais jovens do Brasil

A valorização nas ações da Amazon adicionou durante a semana US$ 8,8 bilhões à fortuna do CEO, Jeff Bezos, a pessoa mais rica do mundo. Sua ex-mulher, MacKenzie Scott, ficou US$ 3 bilhões mais rica esta semana graças a sua participação de 4% na empresa.

Os ex-CEOs da Microsoft, Bill Gates e Steve Ballmer, também ficaram mais ricos, com as ações da empresa subindo 4,7% ao longo da semana. Aproveitando o boom dos jogos eletrônicos durante a pandemia, a Microsoft anunciou uma parceria com a GameStop na quinta-feira (8) que permite ao varejista de videogames usar a nuvem da Microsoft e aplicativos de trabalho, e vai expandir a linha de produtos Xbox da Microsoft disponíveis na loja.

Ontem, o “The Verge” informou que a Microsoft também se juntou a uma lista de empresas, incluindo Facebook e Twitter, que permitirão que seus funcionários trabalhem em casa permanentemente. Gates encerrou a semana US$ 2,1 bilhões mais rico, enquanto a fortuna de Ballmer se valorizou em US$ 2,6 bilhões.

VEJA TAMBÉM: Nos EUA, 1% mais rico tem mais capital do que os 50% mais pobres juntos

O CEO da Tesla, Elon Musk, ganhou US$ 3,5 bilhões na semana, em parte graças a um novo preço-alvo para as ações de um analista de Wall Street. Na quinta-feira, Pierre Ferragu, do “New Street”, atualizou as estimativas para a Tesla a US$ 578, citando a falta de competição significativa. As ações da empresa de carros elétricos fecharam sexta-feira a US$ 434 por ação.

A empresa de carros autônomos Waymo, que pertence à Google Alphabet, lançou seu serviço de táxi sem motorista na quinta-feira na área de Phoenix. Musk criticou o sistema da Waymo como sendo limitado por sua dependência de mapas. No entanto, o mercado ficou satisfeito, e as ações da Alphabet subiram 3,9% na semana, adicionando US$ 2,3 bilhões e US$ 2,1 bilhões, respectivamente, às fortunas dos cofundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin.

Os bilionários chineses também obtiveram ganhos nesta semana, com o yuan atingindo seu valor mais alto em relação ao dólar americano em 17 meses. Parte desse aumento é atribuído à liderança do ex-vice-presidente e atual candidato à presidência Joe Biden nas pesquisas contra Donald Trump. O presidente da Tencent, Ma Huateng, e o fundador e CEO da Pinduoduo, Colin Zheng Huang, tiveram os maiores saltos durante a semana, adicionando US$ 2,9 bilhões cada um a suas fortunas. O bilionário dono da maior engarrafadora de água do país, Zhong Shanshan, também se classificou como um dos maiores ganhadores, encerrando a semana US$ 2,6 bilhões mais rico.

Veja, na galeria a seguir, os 11 bilionários que mais ganharam na última semana (entre 2 de outubro e 9 de outubro):

  • 1. Jeff Bezos

    Patrimônio: US$ 193,1 bilhões (aumento de US$ 8,8 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Amazon

    Alex Wong/Getty Images
  • 2. Elon Musk

    Patrimônio: US$ 90,8 bilhões (aumento de US$ 3,5 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Tesla

    Yasin Ozturk/Anadolu Agency/Getty Images
  • 3. Mackenzie Scott

    Patrimônio: US$ 62,2 bilhões (aumento de US$ 3 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Amazon

    Getty Images
  • 4. Ma Huateng

    Patrimônio: US$ 59,8 bilhões (aumento de US$ 2,9 bilhões)
    País: China
    Fonte de riqueza: Tencent

    Visual China Group/Getty Images
  • 4. Colin Sheng Huang

    Patrimônio: US$ 28,1 bilhões (aumento de US$ 2,9 bilhões)
    País: China
    Fonte de riqueza: Pinduoduo

    Visual China Group/Getty Images
  • 6. Larry Ellison

    Patrimônio: US$ 80,2 bilhões (aumento de US$ 2,7 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Oracle

    Justin Sullivan/Getty Images
  • 7. Steve Ballmer

    Patrimônio: US$ 73,3 bilhões (aumento de US$ 2,6 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Microsoft

    Steven Ferdman/Getty Images
  • 8. Zhong Shanshan

    Patrimônio: US$ 55,4 bilhões (aumento de US$ 2,3 bilhões)
    País: China
    Fonte de riqueza: Nongfu Spring

    Jiang Xin/Getty Images
  • 8. Larry Page

    Patrimônio: US$ 67,7 bilhões (aumento de US$ 2,3 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Google

    Justin Sullivan/Getty Images
  • 10. Sergey Brin

    Patrimônio: US$ 65,8 bilhões (aumento de US$ 2,1 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Google

    Kelly Sullivan/Getty Images
  • 10. Bill Gates

    Patrimônio: US$ 117,2 bilhões (aumento de US$ 2,1 bilhões)
    País: Estados Unidos
    Fonte de riqueza: Microsoft

    Alex Wong/Getty Images

1. Jeff Bezos

Patrimônio: US$ 193,1 bilhões (aumento de US$ 8,8 bilhões)
País: Estados Unidos
Fonte de riqueza: Amazon

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).