Bob Langer, cientista do MIT, torna-se bilionário graças ao boom das ações da Moderna

Divulgação/Forbes
Divulgação/Forbes

Robert Langer, professor de engenharia química do MIT, e um prolífico cientista com mais de 1.000 patentes

Pela terceira vez neste ano, uma alta no preço das ações da Moderna, empresa de biotecnologia e farmacêutica sediada em Massachusetts, EUA, cunhou um novo bilionário. O recém-chegado ao clube dos 10 dígitos é Robert Langer, professor de engenharia química do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), e um prolífico cientista com mais de 1.000 patentes. Sua participação de 3% na empresa agora vale mais de US$ 1 bilhão.

As ações da Moderna subiram quase 7% ontem (12), um dia após a empresa anunciar que havia coletado dados suficientes para a fase três dos testes de sua vacina contra Covid-19, que agora vai ser submetida a um conselho independente para análise. A notícia veio três dias depois de outra gigante farmacêutica, a Pfizer, divulgar resultados positivos de testes de sua própria vacina de Covid-19, desenvolvida com a empresa de biotecnologia alemã BioNTech, que usa tecnologia de RNA mensageiro, semelhante à usada pela Moderna.

LEIA MAIS: Moderna recebe mais US$ 472 mi do governo dos EUA para vacina contra Covid-19

A Forbes estima que Langer vale cerca de US$ 1,1 bilhão, com sua fortuna composta em grande parte por ações da Moderna, bem como participações menores em startups de biotecnologia de capital aberto, como a Frequency Therapeutics, SQZ Biotechnologies e Lyra Therapeutics. Ele segue os passos de outros grandes acionistas da companhia, como o próprio CEO, Stéphane Bancel (US$ 2,7 bilhões), e o professor e investidor em biotecnologia Timothy Springer (US$ 1,5 bilhão), que ultrapassou a marca de um bilhão de dólares quando o preço das ações da Moderna disparou em abril e maio.

“Tive o privilégio de estar envolvido com a Moderna desde seus primeiros dias”, disse Langer em um comunicado enviado por e-mail à Forbes. “Fui inicialmente inspirado pela promessa do RNA mensageiro como a base potencial para uma plataforma transformadora para novos medicamentos e vacinas. Essa promessa está definitivamente sendo cumprida.”

É uma decisão que serviu bem ao cientista –as ações da Moderna subiram mais de 390% desde o início do ano. Langer ingressou no MIT como professor de bioquímica nutricional em 1978 e mais tarde estabeleceu o seu próprio laboratório, o LangerLab, no departamento de engenharia química da universidade, que ele lidera ainda hoje. Curiosamente, o primeiro investidor da Moderna, que está sediado no outro lado da rua do escritório de Langer, em Cambridge, é um graduado do MIT, que concluiu seu doutorado em engenharia química em 1974 depois de obter seu diploma de bacharel na Cornell University.

Além de agora possuir uma fortuna de dez dígitos, ele também é um ganhador de vários prêmios e estima-se que seja o engenheiro mais citado da história, com mais de 320 mil citações no Google Scholar e mais de 1.500 artigos publicados. Seus alunos de pós-doutorado no LangerLab lançaram suas próprias empresas de biotecnologia –como a própria SQZ Biotechnologies e a Frequency Therapeutics, nas quais Langer possui participações–, com Langer auxiliando como investidor e membro do conselho.

O investimento de Langer na Moderna é sua aposta mais lucrativa até agora –e o professor nunca vacilou em sua crença de que as ideias da empresa poderiam ser um grande sucesso. “Além da promessa da plataforma de tecnologia da Moderna, também fiquei impressionado com suas equipes de liderança e funcionários comprometidos”, disse ele. “Tanto que não vendi uma única ação da Moderna desde a fundação da empresa.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).