Google fornecerá serviços de computação em nuvem para SpaceX

Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

A SpaceX montará estações terrestres com os data centers do Google que se conectam aos satélites Starlink

Google fechou um acordo para fornecer serviços de computação em nuvem para a SpaceX, que lançou uma série de satélites Starlink para fornecer internet de alta velocidade, disse a empresa hoje (13).

A SpaceX montará estações terrestres com os data centers do Google que se conectam aos satélites Starlink, permitindo serviços de internet rápidos e seguros via Google Cloud, disse o gigante das buscas.

LEIA TAMBÉM: 4 pontos que a nova política de privacidade do WhatsApp precisa esclarecer

Espera-se que este serviço esteja disponível no segundo semestre de 2021 para clientes corporativos, disse a empresa.

O negócio chega em um momento em que a demanda por serviços de computação em nuvem disparou, com concorrentes como a Microsoft e a Amazon dominando o mercado. Empresas que oferecem serviços em nuvem também entraram no setor de telecomunicações, graças a um salto na demanda por conectividade 5G.

Os negócios em nuvem do Google correspondem a cerca de 7% de sua receita total, de acordo com o último balanço.

A SpaceX, conhecida por seus foguetes reutilizáveis e cápsulas de astronautas, está aumentando a produção de satélites Starlink, uma constelação crescente de centenas de satélites de transmissão de internet que Elon Musk espera gerar receita suficiente para ajudar a financiar os objetivos interplanetários da SpaceX.(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).